Música

Funkeiro Gabriel Medeiros é indiciado por envolvimento em golpes de falsos leilões

Cantor diz não saber de esquema com produtora de MC Gui

O cantor de funk Gabriel Medeiros
O cantor de funk Gabriel Medeiros - Reprodução/Instagram
Amanda Nogueira
São Paulo

O cantor de funk Gabriel Medeiros foi indiciado nesta quinta-feira (8) na investigação de um esquema de falsos leilões de carros. Em depoimento à Decade (Delegacia de Capturas e Delegacia Especiais), o artista negou ter conhecimento dos crimes.

A polícia afirma que os golpes seriam aplicados com anúncios na internet. As vítimas depositavam o valor correspondente ao do carro arrematado e, em seguida, o site do leilão saia do ar. Ao menos 70 pessoas foram extorquidas. A investigação da polícia, que já dura três meses, apura possível envolvimento de funcionários da produtora RW, do pai de MC Gui, com o esquema. 

Segundo o delegado Oswaldo Nico, do Decade, o pagamento de uma ​apresentação de Medeiros teria sido feito na mesma conta em que eram depositados os valores pelas vítimas. "Ele disse que foi usado e que não sabia da gravidade do caso", disse Dr. Nico, sobre o depoimento prestado pelo artista.

Em um depoimento em vídeo, o cantor negou ter conhecimento do esquema ilegal e afirmou que não chegou a realizar o show pelo qual teria sido pago. "[O contratante] negociou direto com ele [o produtor do artista], colocou o dinheiro direto na conta dele, nunca cheguei a fazer esse show, esse dinheiro não foi sacado, foi bloqueado, e constou-se que era dinheiro de crime e o meu nome estava no meio desse vuco todo", disse Medeiros.

Investigadores da 3ª Delegacia de Polinter (Polícia de Investigações Interestaduais) foram na quarta (7) passada à RW Produtora para cumprir um mandado de busca e apreensão e encontraram pinos de cocaína.

Gabriel Medeiros afirma que as drogas apareceram na produtora depois de uma gravação de seu videoclipe  no local, onde teria acontecido uma festa com cerca de 70 pessoas. 

Procurado pela reportagem, Medeiros não se manifestou sobre o ocorrido. Nas redes sociais, no entanto, ele se referiu ao caso. "Quem ao assistiu jornal ontem e hoje já entendeu qual era meu problema, né... Mas é isso, agora parece que está tudo resolvido."

"Deixando bem claro que minha vida nos dias de hoje se resume em música... Música porque ela me desliga de todo o resto e isso é tudo o que preciso. #Paz. O crime... ???? O crime é uma doença igual a gripe (sic)".

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias