Música

Polícia investiga MC Gui por suposto esquema de leilões falsos

Golpes seriam aplicados com anúncios de falsos leilões de veículos na internet

MC Gui durante apresentação na Virada Cultural 2017
MC Gui durante apresentação na Virada Cultural 2017 - Flavio Moraes/UOL
 

Descrição de chapéu Agora
Alfredo Henrique
São Paulo

A polícia investiga o suposto envolvimento do MC Gui, 19, e seus familiares em um esquema em que sites de leilão seriam usados para extorquir dinheiro de vítimas. O artista e os pais estão de férias nos Estados Unidos e negam as acusações.

Investigadores da 3ª Delegacia de Polinter (Polícia de Investigações Interestaduais) foram na manhã desta quarta-feira (7) à produtora do artista, a RW Produtora, na Vila Formosa (zona leste) para cumprir um mandado de busca e apreensão. O pai do funkeiro, Rogério Alves, é o responsável pelo local.

Na produtora, policiais encontraram pinos de cocaína, além de apreender documentos. Investigadores permaneceram no local até o fim da tarde.

Segundo o delegado Osvaldo Nico, do Decade (Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas) a investigação, que durou cerca de três meses, indicou que golpes eram aplicados com anúncios de falsos leilões de veículos na internet.

As vítimas, segundo a polícia, depositavam o valor correspondente ao do carro supostamente arrematado no leilão. Após isso, o site era tirado do ar. A polícia ainda descobriu que nos sites “frios” constavam o CNPJ do Sindicato dos Leiloeiros de São Paulo, contribuindo para “dar credibilidade” ao golpe.

Por conta disso, o sindicato procurou a polícia, que iniciou as investigações. Até o momento, 70 vítimas foram identificadas.

A suspeita da polícia sobre a RW Produtora acirrou quando um funcionário foi agredido no local, após ter tido sua conta bloqueada "por suspeita de fraude". Ele teria autorizado o depósito de R$ 28 mil em sua conta, valor referente ao cachê de um artista da produtora. 

Segundo fonte policial, o funcionário foi incluído no programa de proteção à testemunha.

A polícia analisa materiais apreendidos na produtora para possíveis cruzamentos de informações que a vinculem ao esquema criminoso.

Em sua conta no Instagram, Guilherme Kaue Castanheira Alves, o MC Gui, afirmou que “jamais colocaria em risco” sua carreira se envolvendo “em qualquer coisa ilegal e suja”.

“O caso já está sendo investigado pela Polícia Civil, somente eles têm a competência e capacidade para resolver e mostrar para todos nós os verdadeiros culpados”, diz trecho da nota.

O funkeiro se desculpou pelas “notícias tão tristes e sujas” e por “estar longe”. “Infelizmente tudo aconteceu bem nas minhas férias que já estavam programadas desde o início do ano, eu sempre usufruo entre os meses de outubro e novembro, pois final e início de ano a agenda é sempre muito cheia”, afirmou.

Sobre a cocaína encontrada na produtora, Gui mencionou a morte do irmão Gustavo Matheus Catanheira Alves, 17, por overdose do entorpecente em abril de 2014. “Elas [drogas] só trouxeram dor e sofrimento à minha família”, escreveu.

Agora
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem