Música

Fã do Katinguelê vira vocalista e compositor do grupo de pagode que comemora 35 anos

Gui é ex-backing vocal do grupo musical Exaltasamba

Katinguelê com formação atual
Katinguelê com formação atual - Divulgação
Fabiana Schiavon
São Paulo

O grupo Katinguelê, sucesso dos anos 1990, celebra 35 anos de carreira com canções inéditas e novo vocalista. O projeto “Um Novo Tempo” também marca a volta do músico Juninho do Banjo, da primeira formação da banda.

Gui, 26, que já foi backing vocal no Exaltasamba, foi o escolhido para dar voz ao atual projeto do grupo, como fazia Salgadinho –artista que, no início dos anos 2000, cedeu lugar a Rodrigo Golla (Diguinho).

O mais novo integrante do Katinguelê conta que até tentou fugir do mundo musical, mas que a carreira artística falou mais alto. “Tentei conciliar outros trabalhos e faculdades, mas a música sempre tomou mais meu tempo. Acabei mergulhando nela."

Além de tê-lo como vocalista, o Katinguelê escolheu uma composição de Gui para dar o pontapé inicial desta fase. “Estavam escolhendo repertório e pediram para eu cantar músicas minhas. Fiquei muito tímido, pois ninguém havia gravado nada meu antes. Cantei algumas, sem sucesso, e pediram algo jovial, alto-astral", disse Gui. 

Sem ideias naquele momento, ele correu para casa para criar. Saiu, então, “Segue o Baile”. O novo disco tem essa e outras inéditas e regravações de hits, como “Recado à Minha Amada (Lua Vai)” e “Inaraí”. A produção é assinada por Valtinho Jota, Laércio da Costa e Leandro Lehart (cantor e compositor que integrou o grupo Art Popular).

Para Gui, o grupo sempre terá novidades, sem deixar a sua história de lado. "Katinguelê marcou muito uma geração e é inevitável cantar os antigos sucessos nos shows. Mas também estamos com o pé no novo. Além desse trabalho, vamos gravar um DVD que deve sair até o ano que vem”, afirma Gui.

Mesmo com a pouca idade, o cantor conta que já era fã do Katinguelê e não teve problemas em lembrar todas as canções. Suas primeiras referências musicais, no entanto, não foram do samba. "Meu pai tocava acordeão e ouvia mais forró e sertanejo. Aos 12 anos, ganhei um cavaquinho e aprendi a tocar sozinho. Só aos 21 anos foi que busquei uma escola de música para me tornar profissional."

O show de estreia da nova turnê do grupo será no dia 1° de dezembro, no Clube Juventus, na Mooca, na zona leste de São Paulo.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias