Música

Paulinho da Viola reverencia Velha Guarda da Portela e celebra 85 anos de Monarco

Rapper Criolo fará participação no show com Velha Guarda da Portela

O sambista Monarco, compositor da Velha Guarda da Portela, com Paulinho da Viola
O sambista Monarco, compositor da Velha Guarda da Portela, com Paulinho da Viola - Divulgação
Descrição de chapéu Agora
Fabiana Schiavon
São Paulo

Um show que tem tudo para durar a noite toda está marcado para a próxima sexta-feira (17), no Espaço das Américas, zona oeste de São Paulo. Não faltará história nem repertório na apresentação que terá Paulinho da Viola, 75, festejando os 95 anos da Velha Guarda da Portela, de quem é padrinho.

Outra celebração é a dos 85 anos do sambista Monarco, um dos compositores mais importantes da escola. Para juntar passado e presente, o rapper Criolo integra o espetáculo, que ganha o nome de “A Noite Veste Azul”.

Monarco faz aniversário no próprio dia 17 de agosto. "Como não estarei no Rio, o pessoal da Portela já fez uma porção de homenagens para mim e até já cortaram o bolo antes. Estou recebendo as minhas flores em vida”, afirma o compositor, que marcou a história do samba com sucessos como “Coração em Desalinho” e “Vai Vadiar”, entre outros.

Desde o início de sua carreira, Paulinho da Viola é padrinho da Velha Guarda da Portela: foi nomeado ao lado da então madrinha Clara Nunes (1942-1983). "Paulinho foi o responsável por retirar do baú as canções dos antigos compositores da Velha Guarda. Eram muitas que foram cantadas na quadra, mas esquecidas. Ele gravou, em 1970, um LP que resgatava essas músicas. O sonho do Paulinho era tirar essas canções da sombra e ele conseguiu”, diz Monarco.

O álbum tem “Desengano”, “Quantas Lágrimas”, “A Maldade Não Tem Fim” e “Passado de Glória”, entre outras. “Mais de 30 anos depois, a Marisa Monte fez o mesmo com o disco ‘Tudo Azul’ [1999]”, lembra o sambista. Ela também fez shows, nos últimos anos, com o Paulinho e a Velha Guarda.

Monarco foi bastante gravado, em especial, por Paulinho da Viola. “Ele gravou ‘Lenço’, ‘Passado de Glória’, ‘Me Deixa em Paz’ e ainda foi responsável por criar a Velha Guarda Show, que passou a fazer apresentações após o lançamento do disco dele”, explica Monarco.

O sambista, que se emocionou com participação do Domingão do Faustão (Globo) no fim de julho, tem a certeza de que essa noite também será marcante. "Ver todas aquelas pessoas cantando ‘Coração em Desalinho’ em coro e o Faustão revendo minha trajetória com aquele papelzinho. Foi emoção demais”, conta.

O repertório será definido entre esta quarta (15) e quinta (16). "O Paulinho nos conduzirá. Claro que não faltarão os sucessos da Velha Guarda e a canção que fiz para ele, ‘De Paulo a Paulinho’”, diz o sambista. 

Sobre o trecho “Ó Deus/ Conservai esse menino/ Que a Portela do Seu Natalino/ Saúda com amor e paz”, Monarco brinca: “Ele está de cabelo branco, mas, para a Velha Guarda, será sempre menino”.

MONARCO VIU CRIOLO NO ROCK IN RIO

O rapper paulistano Criolo, 42, fará uma participação no show “A Noite Veste Azul”, com Paulinho da Viola e a Velha Guarda da Portela, nesta sexta-feira, no Espaço das Américas. Com o disco “Espiral de Ilusão” (2017), o artista colocou o pé no samba e agradou: canta nesta apresentação a convite de Paulinho da Viola.

"Ele é poesia sublime que eterniza momento. Ele é de fazer parar o relógio, que em sua presença se torna apenas um objeto sem sentido. Que bom que ele existe”, afirma Criolo, reverenciando o amigo.

O rapper procurou o sambista veterano quando achou que uma canção sua havia ficado muito parecida com uma criação de Viola, mas teve a permissão do colega para seguir em frente e gravar.

No Rock in Rio do ano passado, Criolo ainda se uniu a grandes artistas do gênero, como Martinho da Vila, Jorge Aragão e Alcione para o show “Salve o Samba”, que encerrou o festival. “Foi lá que eu o conheci”, conta Monarco. 

“A função dele era me convidar ao palco e ele me reverenciou de uma forma muito carinhosa. Ele é jovem, mas sabe respeitar os mais velhos”, diz Monarco, que não o vê como sambista. “A onda dele é outra, mas ele adora os sambas tradicionais e conquistou as pessoas com o seu jeitinho. Ele me convidou para cantar em um show, no Rio, e fiquei bobo de ver como aquilo estava lotado. O Criolo tem algo muito interessante que nem sei explicar.”

"A Noite Veste Azul"

  • Quando Sexta (17), às 22h30
  • Onde Espaço das Américas (r. Tagipuru, 795)
  • Preço De R$ 120 a R$ 240
  • Classificação 12 anos
  • Tel. (11) 2027-0777
Agora
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias