Estilo

Versace, Givenchy e Coach pedem desculpas por roupas que irritaram a China

Marcas mostravam Hong Kong e Taiwan como países independentes

Donatella Versace na parada LGBT de NY em 2019
Donatella Versace na parada LGBT de NY em 2019 - Angela Weiss/AFP
Pequim

As marcas Versace, Givenchy e Coach pediram desculpas por terem colocado à venda camisas que mostravam Hong Kong e Taiwan como países independentes, o que é considerado uma afronta à soberania da China.

A marca italiana criou uma camisa que apresenta uma lista de cidades seguidas pelo nome de seu país, como "Paris - França". Mas também "Hong Kong - Hong Kong", apesar da ex-colônia britânica ter sido devolvida à China em 1997.

Nesta segunda-feira (12), a francesa Givenchy e a americana Coach também se tornaram alvos pela venda de camisas que sugerem como território independente –além de Hong Kong– Taiwan, que a China considera uma província rebelde.

As três marcas pediram desculpas e afirmaram que os modelos questionados foram retirados de suas lojas. "A casa Givenchy apresenta desculpas sinceras por este erro, que não reflete seu profundo respeito pelo público chinês", destacou a marca francesa em um comunicado.

"Amamos a China e respeitamos resolutamente sua soberania territorial nacional", afirmou a Versace no domingo em sua conta no Weibo, o "Twitter chinês", onde a marca foi alvo de críticas. A Coach afirmou que reconhece "a gravidade do erro" e lamenta "profundamente".

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias