Estilo

Matizadores dão vida a cabelos grisalhos e renovam cores de loiras, ruivas e morenas

Entenda o que é o produto e conheça mulheres que assumiram o branco

 Iolanda Coelho, 69 anos e sua filha Renata Coelho, 35 anos fazem sucesso com o seus cabelos grisalhos
Iolanda Coelho, 69 anos e sua filha Renata Coelho, 35 anos fazem sucesso com o seus cabelos grisalhos - Rivaldo Gomes/Folhapress
Fabiana Schiavon
São Paulo

Iolanda Dias Coelho, 69, cansou de pintar os cabelos. Há três anos, ela decidiu revelar os seus fios brancos e se livrar da química e das visitas ao cabeleireiro. “Ouvi de uma amiga que eu iria envelhecer se deixasse os cabelos brancos, mas eu a lembrei de que nós nos conhecemos há 40 anos, o que faz de mim uma pessoa velha”, brinca a professora aposentada. “Nós temos a nossa fisionomia que muda com a idade e isso é natural”, reflete a professora aposentada. 

Cansada de ser refém da tintura que teria de ser retocada a cada dez dias, Iolanda encontrou sua beleza nas cores naturais e, hoje, o jogo virou. “Senhoras elogiam meu cabelo e perguntam como faço para deixá-lo assim”, conta.

Para manter as madeixas grisalhas, Iolanda utiliza matizadores, produtos que vêm crescendo no mercado, com opções de xampus, condicionadores, máscaras e até leave-in (reparador). Eles impedem que os cabelos brancos fiquem amarelados e, alguns deles, ajudam a tratar e a hidratar os fios. A motivação é tanta que até as vendas de tintura para cabelo vêm caindo. Segundo a Euromonitor, o segmento de coloração no Brasil teve uma leve queda de 2,4% de 2013 até 2018. 

Uma vez por semana, a aposentada aplica máscara hidratante: "Enquanto eu termino de tomar banho, já dá o tempo de agir, são só alguns minutos." Iolanda diz que a sua vida ficou mais fácil e o cabelo mais bonito com o uso dos matizadores, mas o mais importante é ser feliz.

“Claro que se a pessoa prefere pintar o cabelo, é uma escolha dela também. O importante é fazer o que se tem vontade”, afirma Iolanda, que incentivou a filha, a engenheira Renata Coelho, 37, a assumir o cabelo bem curto para tirar toda a tinta e deixá-lo crescer naturalmente.

“Decidi deixar o cabelo natural por influência da minha mãe e porque já estava ficando muito complicado tingir o cabelo a cada 15 dias. Como sempre tingi de preto, quando os brancos começavam a despontar eu me incomodava muito e, às vezes, não tinha tempo ou dinheiro para retocar. Aí eu vi que o da minha mãe tava lindo e estiloso e quis tentar”, conta Coelho. 

Ela raspou o cabelo em fevereiro e sofreu com o corte radical. “No começo foi difícil, usei bandana, me senti esquisita e com medo do que as pessoas iriam falar, mas ninguém nunca criticou, só elogiou! Fiquei surpresa. Depois de um mês eu já estava mais acostumada e menos insegura”, completa.

Os cabelos brancos podem ficar amarelados por causa de alguns hábitos ou simplesmente pelo contato com a poluição. Tiago Parente, embaixador de Kérastase, afirma que o cuidado com os cabelos brancos deve ser diário, porque eles "amarelam com a poluição, com água do mar, piscina, calor, exatamente como os fios descoloridos". 

Alguns fios também podem ser mais secos. Por isso, é preciso encontrar a melhor forma de tratar cada tipo de cabelo.  Sergio Marra, embaixador da marca de cosméticos Sarah K, afirma que os xampus matizadores –sejam eles de qualquer cor– ajudam a acentuar uma cor ou a neutralizar um tom, mas as máscaras também ajudam a hidratar. Há máscaras, por exemplo, que funcionam como condicionador.

Já a dona de casa Helen Rose Quesada, 58, nem precisa dos matizadores. Ela assumiu os cabelos branco nos anos 1990 –principalmente porque na época quase não existiam muitos produtos e as opções de tintura ainda danificavam o cabelo. Ela desistiu da tintura muito antes dos grisalhos entrarem na moda.

Aos 26 anos, ela já via crescer os primeiros fios brancos e até hoje os mantêm totalmente naturais. “Acredito que isso é algo de uma geração. Vi minha mãe tingindo o cabelo até os 70 anos, e todo mundo achava que ela tinha morrido jovem, porque nunca mostrou os brancos”, lembra a dona de casa.

Ela rememora que a geração anterior de mulheres não saía de casa sem que o cabelo estivesse totalmente alinhado. “Havia muito uso de rinsagem nos fios brancos. Hoje, já há mais tecnologia, mas não uso nada. Não quero ocupar o meu tempo com o meu cabelo, não é para ele ser uma questão na minha vida”, defende Quesada.

O movimento de mulheres que aceitam os cabelos brancos cresce a cada dia. Muitos citam como referência o filme “O Diabo Veste Prada”, que em 2016, revelou o estiloso penteado branco de Meryl Streep. “Acho que esse filme endossou o desejo das mulheres em deixar o cabelo natural. Agora, há muitas mulheres poderosas que usam os fios naturais também, como a ex-primeira ministra britânica Theresa May", diz a dona de casa. 

As referências crescem também no Instagram com hashtag #greyhair (cabelo grisalho), que já tem quase 2 milhões de publicações. Um outro perfil que incentiva mulheres a mostrar as etapas e fases da transição é o Going Grey With (Ficando Grisalho). Foi com a ajuda de perfis como esse que muitas mulheres se sentiram encorajadas a aceitar os fios brancos.

“As duas maiores lições que aprendi (e que ainda estou aprendendo) é ter paciência e autoaceitação. Essa linha de demarcação não é meu melhor visual, mas terei de viver com ela antes de ter um longo cabelo grisalho que desejo”, escreveu uma mulher que se identifica como Enya, no Instagram.

Ela fez um desabafo que representa boa parte das mulheres que estão na transição. “Eu me dei conta de que o maior medo não era como os outros me veriam, mas como eu me veria. Fiquei com medo de me sentir velha e deselegante. Mas ter cabelos grisalhos não te faz ser uma velha. É só uma cor!”, afirmou a mulher, que diz aprender a exercitar a paciência ao imaginar como seu cabelo grisalho ficará belo em alguns anos. 

ONDA DE MATIZADORES NO MERCADO

O mesmo produto utilizado pelas grisalhas foi descoberto pelas loiras, que engrossaram esse mercado. “Existe o ‘silver’ ou –xampu roxo– que serve para as grisalhas, mas também para as loiras muito platinadas, que desejam dar um ar mais natural aos cabelos”, explica Bruno Ximendes, hairstylist do C.Kamura São Paulo.

Essa descoberta deu um impulso na venda do produto. "É necessária a matização dos fios para neutralizar tons indesejados como o amarelo, o cinza e o acobreado, e também pelo aumento do número de jovens que descolorem seus cabelos e aplicam cores fantasia (azul, rosa, verde, lilás) para ficarem antenados com a moda", afirma Vladimir Bastidas, Coordenador Educacional da Ikesaki. 

O matizador de salão é o oxidante, que é semelhante ao tonalizante. “A diferença é que ele age em muito menos tempo, às vezes, cinco minutos já são necessários. Mas para usá-lo é preciso ter conhecimento de colorimetria para definir o tom do produto e o tempo”, explica Wesley Nobrega, hair stylist do Allummê.

Foi o que ele fez no cabelo da modelo Luiza Martucci, que estava com o loiro muito dourado e queria um tom mais natural. “Tinha feito luzes e meu cabelo já não estava mais com tanta vitalidade.  O loiro já estava mais amarelado. Então decidi fazer a matização. Nunca tinha feito antes e amei o resultado”, conta Luiza Martucci, 24, atriz e modelo.

O matizador utilizado no salão para mudar a cor é bem próximo do tonalizante. “Eles têm a mesma propriedade e nenhum deles maltrata o cabelo, como a tintura, por exemplo. Por mais que a pessoa escolha usar uma máscara matizadora em casa, o ideal é consultar um profissional antes para saber a melhor cor e tipo de produto. 

Outro benefício é para os cabelos ruivo e avermelhado. “Essa cor demanda um tratamento muito complexo e, antes, as mulheres ficavam escravas do cabeleireiro para ficar retocando, porque desbota muito. Hoje, a maioria das marcas já lança xampus ou cremes, sem amônia, sem química, mas que ajudam a manter a cor”, explica Ximendes. Morenas iluminadas também utilizam esse tipo de produto para manter a cor.

BELEZA NATURAL PARA HOMENS E MULHERES

Grisalhas, loiras ou ruivas, uma tendência apontada pelos profissionais é do efeito natural. “É como na maquiagem. Você vê que a Kim Kardashian está usando mil produtos no rosto, mas parece totalmente natural. O mesmo ocorre com os cabelos. Há tintura, cuidado  para manter a cor com os matizadores, mas de uma forma que deixa em dúvida se o cabelo é ou não natural”, afirma Ximendes. 

Até os homens entraram nessa onda. “Lançamos uma linha de barbearia para homens que vem com um xampu matizador”, conta Andreia Castro, gerente de Produto da Cless Conceito. Com o aumento de homens descolorindo os cabelos, eles também estão utilizando xampus matizadores para não deixar amarelar demais o tom.

“Como o cabelo do homem é mais oleoso, ele não precisa de um produto com tanta hidratação como o das mulheres, por isso, incluímos esse xampu na linha Cless Men Barber”, afirma a gerente. A linha foi criada em parceria com Nariko Hair Style, o cabeleireiro do Neymar e outros jogadores de futebol. 


 

DICAS PARA FICAR COM O CABELO GRISALHO

  1. Se você já tingia o cabelo, principalmente de cor escura, o melhor a fazer é deixar crescer. Segundo os profissionais, tentar descolorir só vai deixar o cabelo com cores diferentes e pode destruir os fios. A melhor receita é a paciência

  2. Durante esse processo, mantenha o cabelo hidratado para que o fio virgem cresça forte

  3. Quem gosta de cabelo curto, pode apostar em um corte bem curtinho para eliminar a maior parte do cabelo que ainda tem tinta

  4. Cuidado ao escolher o primeiro corte. Há casos de mulheres que desistiram de ficar com os cabelos grisalhos porque confundiram com o fato de não terem gostado do corte de cabelo

  5. No entanto, não há mais regras para o corte. Se a ideia é ser natural, cada um pode ter o cabelo que deseja

  6. Peça ajuda do seu cabeleireiro para escolher o melhor produto matizador. Você pode usar só o xampu ou combinado com uma máscara. No caso dos cremes que hidratam e matizam é preciso tomar cuidado com o tempo para não deixar o cabelo muito azulado

Fontes: Sergio Marra, embaixador da marca de cosméticos Sarah K; Bruno Ximendes, hairstylist do C.Kamura São Paulo; Andreia Castro, gerente de Produto da Cless Conceito; Wesley Nobrega, hair stylist do Allummê

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias