Estilo

Modelo Tabria Majors rebate declaração de executivo da Victoria's Secret sobre as plus size

Ele disse não ser possível escalar modelos trans e plus size

Tabria Major vestindo lingerie
Tabria Major faz protesto contra Victoria Secret - Reprodução/Instagram/tabriamajor

São Paulo

A modelo plus size americana Tabria Majors, 28, chamou a atenção de Edward Razek, chefe de marketing da Victoria's Secret, pelo Instagram. Em uma foto vestindo uma lingerie de luxo, ela disse que já passou da hora da marca aderir ao movimento "body positive", que ajuda as mulheres de todos os tipos a amarem seus corpos.

A declaração foi feita em resposta a entrevista concedida por Ed Razek à revista Vogue em que ele disse não ser possível incluir modelos transgênero e plus size no Victoria's Secret Fashion Show, a última edição aconteceu na última quinta (8). "Então Ed Razek, você tentou fazer um desfile plus size há VINTE ANOS e não funcionou? Se ainda não entendeu, #bodypositivity está aqui para ficar! Tente de novo", disparou. 

Na última quinta, o site da Vogue publicou uma entrevista com Ed Razek e com Nicole Phelps, vice-presidente de relações públicas da Victoria's Secret. Eles foram questionados sobre a falta de modelos transgênero e plus size no desfile. E a resposta foi "Não acho que teremos esse tipo de modelo, porque esse show é uma fantasia. São 42 minutos de entretenimento".

Razek falou, ainda, que houve tentativas de criar projetos para esses públicos, mas que ninguém ficou interessado em investir nessas áreas.

As declarações repercutiram mal. Pelo Twitter, ele chegou a pedir desculpas por parte da resposta dada. "Minha declaração sobre não incluir modelos transgênero no desfile da Victoria's Secret foi insensível. Peço desculpas. Para dizer a verdade, nós vamos selecionar modelos transgênero para o show. Nós nunca tivemos modelos trans em nossa seleção, mas a questão não é o gênero, elas só não chegaram lá", afirmou Razek. 

Mais tarde, a organização Model Alliance postou uma declaração no Instagram sobre o caso. "Estamos desapontados com os comentários recentes sobre modelos transgêneros e plus size feitos por Ed Razek. Tais declarações criam um ambiente hostil de trabalho às pessoas que não estão de acordo com o modelo da Victoria's Secret – aquele que reforça a ideia de que a beleza feminina é predominante branca, cisgênero, jovem e magra".

Segundo o site Fashionista, antes dessa polêmica, a modelo trans Leyna Bloom pediu boicote à marca, depois da empresa vetar que ela participasse do Victoria's Secret Fashion Show. A modelo fez uma campanha no Twitter pedindo que ela fosse a primeira transgênero negra a pisar naquela passarela. O desejo dela, no entanto, não foi atendido. 

​Angels da marca como as modelos Lily Aldridge e Karlie Kloss já postaram mensagem a favor das modelos transgênero e plus size.

Neste ano, a marca surpreendeu a anunciar a primeira modelo com vitiligo que passou a fazer parte do time das Angels.  Aos 26 anos, Chantelle Winnie, artisticamente conhecida como Winnie Harlow, é uma modelo que já se destacava nas passarelas do mundo, e recebeu o convite neste ano.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem