Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Tony Goes

BBB 22: Tiago Abravanel some da abertura, e votação de Lina surpreende

Correndo por fora, cantora desponta como uma das favoritas ao prêmio

Linn da Quebrada e Tiago Abravanel - Fabio Rocha 2022/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Pobre Larissa. Durou apenas duas semanas no Big Brother Brasil. A sister entrou na competição um mês depois da estreia, e trouxe informações do mundo exterior para seus colegas de confinamento. Mas escolheu contar histórias diferentes para cada participante –em outras palavras, mentir. Seu objetivo era agitar o jogo, mas o público não entendeu essa estratégia. A pernambucana saiu com 88,59% dos votos, um índice altíssimo de rejeição.

Quem também já era é Tiago Abravanel. O ator apertou o botão da desistência no domingo (27), ao perceber que corria o risco de ir ao Paredão. Com isto, perdeu o direito ao cachê de R$ 30 mil previsto aos integrantes do grupo Camarote. Também não irá ao Mais Você ou ao Domingão com Huck, como costuma acontecer com os demais eliminados.

Tiago foi até retirado da abertura do reality. Uma "punição" que parece exagerada, já que até Maria, expulsa há duas semanas, continua aparecendo na vinheta. Mas ele deu as caras em algumas cenas do programa desta terça (1º), que fez uma retrospectiva da semana anterior. É algo contraditório: se a intenção é apagá-lo da história do BBB 22, então ele deveria sumir completamente, não?

Enquanto isto, tem alguém aparecendo e ganhando protagonismo. É Linn da Quebrada –ou melhor, Lina. A cantora deixou aqui fora sua persona artística. Quem estava esperando pela performer vanguardista, quase agressiva, ou pela ativista ultra-articulada, capaz de defender a causa LGBTQIA+ com argumentos sólidos, se frustrou um pouco. Quem está lá dentro da casa é uma moça comum, que canta pagode e tem hábitos simples.

A própria Lina admite que está sendo ela mesma, sem os artifícios do palco. Talvez nem seja uma estratégia consciente, mas está se revelando acertada. Ao mostrar que uma travesti é uma pessoa como qualquer outra, Lina vem conquistando o público aos poucos.

Sua votação no Paredão desta terça foi surpreendentemente baixa, contrariando as previsões das enquetes online. Ela teve 5,51% dos votos do público –ínfimos quatro décimos a menos que Arthur Aguiar, que teve 5,9%, mas o suficiente para lhe garantir o título de menos rejeitada da rodada.

Acredito que Lina tem potencial para chegar entre os quatro finalistas desta edição. Dependendo do que rolar daqui para a frente, pode até sair vitoriosa. Se isto acontecer, será um evento histórico. Ainda mais num país que, nos últimos anos, se afundou no conservadorismo mais tacanho.

E quem seriam os outros três finalistas? Neste momento, aposto em Jade Picon e Arthur Aguiar, cuja rivalidade se consolida a cada dia. Ambos têm torcidas consideráveis, o que pode empurrá-los para um duelo final.

O quarto, por incrível que pareça, é Pedro Scooby. O surfista, que, quando não está desligado, só fala besteira, não enfrenta grande rejeição nem se mete em polêmicas vazias. Não tem muita noção de jogo nem entende de estratégia, mas é simpático e divertido. É uma semi-planta, que pode ir longe se for bem regada.

Mesmo com tantos acontecimentos nos últimos dias, o BBB 22 segue em fogo baixo. O elenco mal escolhido comprometeu o andamento do programa, e está encolhendo mais rápido do que o previsto. A produção vai ter que rebolar para segurar o interesse do espectador até o fim de abril.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem