Tony Goes

Ana Paula Valadão demonstra ignorância e preconceito, e a internet reage

Cantora desinformou sobre a transmissão da Aids em programa gospel de TV

Ana Paula Valadão faz comentário homofóbico
Ana Paula Valadão faz comentário homofóbico - Instagram/anapaulavaladao

Vivemos um tempo de trevas. Apesar do conforto proporcionado pelos avanços tecnológico e do acesso à educação estar mais facilitado do que nunca, ainda há quem despreze a ciência em favor da crendice e do preconceito. O próprio presidente da República é um vetor de desinformação, ao recomendar um medicamento contra o novo coronavírus que não tem eficácia comprovada.

Ana Paula Valadão é outro. A pastora e cantora gospel já deu diversas declarações que podem ser consideradas homofóbicas ao longo de sua carreira. Alguns anos atrás, indignou-se com a campanha publicitária de uma loja de roupas que promovia uma coleção unissex. É este o nível de sua mentalidade.

Nesta sexta (11), Ana Paula voltou a proferir barbaridades. Durante um programa transmitido pela Rede Super, uma emissora evangélica online, ela disse que, tirando a heterossexualidade, “qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio”. É impressionante como ainda tem gente que insiste neste erro primário, apesar de homossexuais, bissexuais, transexuais e cientistas bradarem há décadas que ninguém escolhe por quem vai se sentir atraído. Quem defende que a sexualidade é mera questão de escolha deveria provar seu ponto e mudar de “opção” por uma noite, transando com alguém de seu mesmo sexo.

Pouco depois, Ana Paula Valadão soltou uma ainda pior: “tá aí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte”. Há quase 40 anos que a medicina sabe que o causador da síndrome da imunodeficiência adquirida é o HIV, um vírus que não escolhe suas vítimas. Se uma união sexual entre dois homens for monogâmica e ambos forem soronegativos, não há a menor chance de algum deles contrair uma doença sexualmente transmissível.

Mesmo assim, muitos religiosos citam até hoje a Aids, os terremotos e os furacões como castigos divinos aos gays ou a quem quer que desafie as supostas leis de Deus. Esquecem que enfermidades e desastres naturais afetam milhões de pessoas, independentemente da fé delas. Uma divindade que mata muitos inocentes para se vingar de uns poucos culpados é mais absurda do que os produtos milagrosos que alguns “apóstolos” vendem por aí.

O vídeo em que Ana Paula Valadão ostenta preconceito e ignorância viralizou neste sábado (12). Milhares de internautas reagiram com fúria, forçando a cantora-pastora a tornar exclusivo para seguidores pré-aprovados seu perfil no Twitter – onde, aliás, ela se autodenomina “cidadã brasileira e do céu”.

A Aliança Nacional LGBT+ já anunciou que irá processar Ana Paula, mas o castigo maior ainda está por vir. Imagine só a cara dela quando descobrir que não vai entrar no céu.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem