Tony Goes

Relançada com fanfarra, 'Caminho das Índias' decepcionou em 2009

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

A reprise de "Caminho das Índias" estreou nesta segunda (27) no "Vale a Pena Ver de Novo". A Globo promoveu um lançamento digno de novela inédita, com muitas chamadas ao longo da programação.

Ficou faltando a tradicional festa de apresentação do elenco à imprensa, é verdade. Mas, num lance dramático, a emissora fez o que pôde para segurar o galã Marcio Garcia, que estava sendo sondado pela Record para apresentar a próxima edição de "A Fazenda". Não ia ficar bem o ator aparecer nas duas rivais ao mesmo tempo.

Todo esse marketing leva a crer que "Caminho das Índias" fez um tremendo sucesso quando foi exibida pela primeira vez, em 2009. Mas, apesar de seus números matarem de inveja a atual "Babilônia" - estreou com 39 pontos e terminou com 55 - na época ela foi considerada uma decepção para os padrões habituais da autora Glória Perez.

Muitas razões foram apontadas para esse relativo fracasso. Uma delas foi o fato de grande parte da trama se passar na Índia, com personagens de nomes esquisitos envolvidos com problemas que não tinham nada a ver com a nossa realidade - como o amor entre pessoas de castas diferentes, ou a obrigação de uma mulher ter um filho homem para conseguir a chave da despensa de sua própria casa.

Para aumentar o estranhamento, as falas dos personagens eram salpicadas de expressões como "are baba" ou "atchá", que demoraram a ser entendidas pelo público. O figurino exagerado também pode ter assustado a audiência: um amigo indiano me disse que o equivalente seria uma novela brasileira onde todo o elenco andasse fantasiado de Carmen Miranda.

Crédito: Divulgação Juliana Paes como a Maya de "Caminho das Índias"
Juliana Paes como a Maya de "Caminho das Índias"

Outro problema enfrentado por "Caminho das Índias" foi a falta de química na tela entre o casal de protagonistas, Juliana Paes (que interpretava a mocinha Maya) e Márcio Garcia (seu amado, o "intocável" Bahuan). Consta que os dois atores teriam ficado muito amigos na vida real, e que isto estaria atrapalhando as cenas românticas entre ambos.

A solução encontrada foi um desvio da sinopse original. Maya, que desafiava sua família para ficar com Bahuan, acabou cedendo ao casamento arranjado com Raj (Rodrigo Lombardi). A tradição, que seria contestada, terminou vencendo no final.

Além disso, a produção passou por muitos percalços. Glória Perez precisou se afastar por um tempo por causa de um sério problema de saúde, sendo substituída por diversos outros autores da Globo. As atrizes Letícia Sabatella, Cleo Pires e Mara Manzan também baixaram hospital. As duas primeiras se recuperaram rapidamente, mas Mara veio a falecer dois meses depois de terminadas as gravações.

O pós-vida de "Caminho das Índias" foi mais feliz. É um dos títulos da Globo mais vendidos para o exterior, perdendo apenas para "Avenida Brasil". E foi a primeira novela da emissora a vencer o Emmy Internacional da categoria (mais tarde, "Lado a Lado" e "Joia Rara" também ganharam o troféu).

Agora ela ressurge no "Vale a Pena Ver de Novo", onde a reprise de "O Rei do Gado" alcançou um Ibope que as novas produções da casa suam para conseguir. Pode ser até que dessa vez "Caminho das Índias" seja percebida como um grande sucesso - guardadas as devidas proporções, é claro.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias