Tony Goes

Dani Calabresa estreia bem no "CQC", mas aquém de seu potencial

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Talvez não pudesse ser de outro jeito.

Diretor da Globo diz que "namorava" Marcelo Adnet há três anos
Faustão perde força e empata com o "Domingo Espetacular"
João Kléber aparecerá de segunda a domingo na tela da Rede TV!

Por melhor que fosse a primeira participação de Dani Calabresa na nova temporada do "CQC", que estreou nesta segunda-feira (18) na Band, uma certa decepção era mesmo inevitável.

E olha que a moça mandou bem. Surgiu no vídeo barbeando-se em seu camarim, desmontando na hora qualquer suspeita de que tenha sido acrescentada ao programa só para elevar o nível de "gostosice", à la Sabrina Sato (para isto trouxeram a própria, que deu uma breve palhinha).

Depois Dani visitou seus colegas na bancada, sumiu por um longo período e reapareceu comentando algumas notícias da semana. Imitou Narcisa Tamborindeguy, Yoani Sánchez e até Iemanjá. Tudo muito legalzinho, mas não deu para não sentir saudades do que ela fazia na MTV.


Acabou nem sendo o melhor momento do programa. Este troféu pode ir para Felipe Andreoli, que se passou por argentino em plena Praça de São Pedro logo após o anúncio do novo papa, e deu até entrevistas para TVs internacionais.

Aliás, não deixa de ser irônico o repórter tirar tanto sarro dos nossos "hermanos" num programa criado por argentinos, dirigido por um argentino e exibido numa emissora onde boa parte da cúpula também é argentina.

Outro ponto alto foi Maurício Meirelles, que emudeceu o homofóbico Marco Feliciano ao perguntar o que o deputado acha de "homem que faz estelionato com outro homem".

Nisso tudo, dois veteranos tiveram participações apagadas. Marco Luque interveio poucas vezes e mal se fez perceber. E está mais que na hora de rever a presença de Oscar Filho na bancada: o cara simplesmente não é engraçado o suficiente.

Será que Dani Calabresa merece essa vaga? Existe o precedente: no "Caiga Quien Caiga" original, há quase 20 anos no ar, o apresentador Mario Pergolini foi substituído pela comediante Ernestina Pais, que permaneceu no comando da atração por alguns anos.

De qualquer forma, é natural que a senhora Adnet demore um pouco para encontrar uma função no "CQC" que explore todo seu imenso potencial. Ela é um acréscimo mais do que bem-vindo ao elenco do programa, que já dava sinais de desgaste ao entrar em sua sexta temporada brasileira.

Só espero que parem de explorar a rivalidade imaginária entre Dani e Monica Iozzi. As duas são as únicas mulheres num universo essencialmente masculino, onde todo mundo usa terno e gravata. Portanto, têm mais é que se engalfinhar? Por favor: tanto o "CQC" quanto seus espectadores são mais inteligentes do que isto.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias