De faixa a coroa
Descrição de chapéu miss brasil Miss Universo

Miss Brasil convida criador da 'fábrica venezuelana de misses' para a final

Osmel Sousa estará na etapa brasileira para o Miss Universo; conheça as candidatas

Osmel Sousa ao lado das candidatas ao Miss Venezuela em 2011

Osmel Sousa ao lado das candidatas ao Miss Venezuela em 2011 Leo Ramirez -13.out.2011/AFP

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Considerado uma das maiores lendas dos concursos de beleza em todo o mundo, o venezuelano Osmel Sousa, 76, é uma das presenças confirmadas para o próximo Miss Universo Brasil. O treinador de misses aceitou o convite feito pela atual organização nacional, que agendou a final para a noite do próximo dia 7 de novembro.

Quem confirma a informação com exclusividade para a coluna é a gaúcha Marthina Brandt, 29, Miss Brasil 2015 que lidera com mãos de ferro o concurso que a consagrou.

"Para nós é uma honra ter um convidado tão especial quanto o Osmel para acompanhar nosso primeiro evento presencial. Acreditamos que podemos aprender um pouco com ele", diz ela.

Nesta sexta (29) começa o confinamento das 27 candidatas, que representam cada uma das 26 Unidades de Federação e o Distrito Federal. Na agenda da tradicional disputa feminina, as concorrentes vão passar parte da disputa, inclusive a noite da final, dentro de um navio de cruzeiro da MSC, que vai circular pelo litoral paulista.

O show será exibido na plataforma de streaming Soul TV, pelo canal U Miss, e no canal 530 da NET Claro, a partir das 22h.

Osmel Sousa adotou a alcunha de "zar da beleza" (inspirado na palavra czar, título dos monarcas do império russo até 1917) após sua consagração no setor por ter coordenado um número impressionante de vencedoras da Venezuela em diversas franquias internacionais de beleza.

Só no Miss Universo ele é dono de sete pódios, o mais recente em 2013 com Gabriela Isler, atual diretora nacional do certame no seu país. Além disso, ele tem no currículo seis vitórias no Miss Mundo, oito no Miss International, duas no Miss Terra e uma no Mister World.

Seu trabalho levou a Venezuela a ser número um nas competições de beleza do planeta, e também temida até hoje pelos concorrentes na passarela. O ex-estilista comandou uma indústria que ensinou jovens a andar, falar, sorrir e se vestir como uma miss, e tornou-se uma celebridade venezuelana.

Participou de programas de televisão e outros produtos de mídia, e chamou a atenção por imprimir toda sua personalidade excêntrica e opiniões polêmicas nas ocasiões.

Mas nem tudo foram flores para o "mago das misses", que recebeu inúmeras críticas por ser abertamente defensor ferrenho de dietas e cirurgias plásticas para alcançar as "medidas perfeitas" 90-60-90" em suas pupilas.

Seu posicionamento, aliado ao sucesso nos concursos, gerou ainda uma discussão mundial sobre ambas as práticas. Vale lembrar que a busca pela beleza no país da "fábrica de misses" se tornou uma ideia fixa entre as venezuelanas, acostumadas a andar muito arrumadas e maquiadas.

Em 2019, após quatro décadas, Sousa se afastou do Miss Venezuela com a explosão de um escândalo que associou o certame à facilitação de favores sexuais a figurões milionários próximos ao governo. O empresário sempre negou a prática.

Após deixar Caracas, capital venezuelana onde viveu desde a infância, Sousa se mudou para Buenos Aires e de lá passou a ser diretor nacional do Miss Argentina. Até o momento, nenhuma das candidatas treinadas no país vizinho foram eleitas, mas já é notável que as representantes de lá estão mais competitivas e subiram na tabela de classificações.

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem