De faixa a coroa

Após acidente grave e Covid-19, mister catarinense se recupera para disputa de 2021

Luan Antonelli teve que fazer fisioterapia e fonoaudiologia após traumatismo

Luan Antonelli Instagram/luanantonelli

Após um acidente durante um passeio de bicicleta no começo de maio, o catarinense Luan Antonelli, 30, viu sua vida passar por uma reviravolta. Vice-campeão do Mister Brasil CNB 2019, o rapaz bateu a cabeça e teve um traumatismo craniano que o levou a ficar inconsciente na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) durante 15 dias.

Após ter alta médica e iniciar uma árdua fase de recuperação, que envolveu, não só fisioterapia, mas também fonoaudiologia para retomar a fala, Antonelli teve outro baque. Como se não fosse bastante o susto do acidente, o mister foi diagnosticado com Covid-19. “Meu psicológico ficou muito abalado”, afirma ele.

“Tive medo dos sintomas serem muito graves, até por eu já estar frágil. Mas, naquele momento, meu maior medo foi também de passar algo para a minha família. Depois que saiu o resultado positivo, não sabia o que ia acontecer nos dias seguintes, como meu corpo ia reagir, ou se eu poderia ser internado novamente.”

Com a conquista da vice-liderança no concurso nacional, Antonelli foi escalado para representar o país em uma das maiores disputas de beleza masculinas do planeta, o Mister International. E com o atestado médico, ele pensou que poderia não ter condições de competir, mas logo virou o jogo.

“Além da minha família, também pensei em segundo plano se eu estaria em condições de representar o Brasil. Hoje estou num processo de reabilitação e, como o concurso foi adiado para 2021, creio que no ano que vem já estarei bem recuperado e pronto para defender o Brasil lá fora”, complementou.

Gordinho durante a infância e adolescência, a partir de 2010 ele se arriscou em uma rotina de dieta e exercícios físicos para mudar seu corpo. Seis anos depois, uma agência de modelos catarinense o encontrou pelas redes sociais e o convidou para trabalhos. O resultado todos já sabem.

“Comecei a fazer catálogo de moda e desfiles, campanha de publicidades e coisas do tipo. Até que em 2017 uma coordenadora do Mister Santa Catarina me encontrou e me chamou para disputar o título. A princípio não aceitei, mas depois de uma série de mudanças na minha vida eu mudei de ideia. Sempre fui muito tímido e muito envergonhado, e achei que essa seria uma boa oportunidade de enfrentar esses medos e quebrar barreiras para me superar”, explicou.

Natural de Jacinto Machado, no sul catarinense, Antonelli sempre trabalhou nas emissoras de rádio da família. Começou auxiliando o pai, e hoje opera não só o administrativo mas também a parte técnica e faz a curadoria da programação musical. Formado em direito, hoje ele se encontrou trabalhando como modelo e sendo Mister Brasil.

“O mister é um representante da sociedade, que usa a imagem e influência para devolver coisas boas a essa comunidade, principalmente por meio de projetos sociais. Pra mim é uma honra poder representar meu estado e meu país. Além de uma superação é uma evolução pessoal muito grandes.”

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil, Miss Universo, Miss Mundo e Mister Brasil. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias e comunicação corporativa.
Contato ou sugestões, acesse instagram.com/defaixaacoroa e facebook.com/defaixaacoroa

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem