De faixa a coroa

Empresário gaúcho é o novo dono do Miss Brasil Universo

Winston Ling, investidor da startup Soul TV, quer transformar o concurso

Winston Ling, investidor da startup Soul TV, é o novo dono do Miss Brasil
Winston Ling, investidor da startup Soul TV, é o novo dono do Miss Brasil - Reprodução

Mistério resolvido! Na madrugada desta terça-feira (7) foi revelado o novo dono do Miss Brasil que leva a vencedora ao Miss Universo. O empresário gaúcho Winston Ling foi anunciado pelas redes sociais oficiais do “U Miss” como o novo franqueado da Miss Universe Organization no país e, portanto, diretor nacional da disputa.

Além de empresário, Ling é economista, engenheiro e investidor da plataforma online gratuita SoulTV, um canal interativo de vídeos chamado pela nova organização de “a primeira social TV interativa do mundo”. Como inicialmente essa nova era do Miss Brasil não tem a parceria de um canal de TV aberta, o destino online será a base do concurso, que deve hospedar ainda canais sobre o mundo miss, de diversas naturezas.

“Essa plataforma comporta vários canais de televisão e, com isso, me deu essa ideia de formar um canal só para os concursos de miss. Desde pequeno eu sempre gostei dos concursos de miss e agora, para essa plataforma, vislumbrei a oportunidade de poder ajudar. Os concursos de miss dependem hoje dos coordenadores estaduais e municipais, que têm muita dificuldade de realizar seus eventos e conseguir patrocínios. Eu pensei então nesse canal de televisão 24 horas só para os concursos de miss”, explica Ling.

O anúncio do novo franqueado foi feito pelo jornalista e missólogo baiano Roberto Macêdo, 45, coordenador nacional do projeto, em vídeo postado no YouTube do concurso, em que ele entrevista Ling.

POR QUÊ ‘U MISS’

Em conversa com a coluna, Macêdo explicou o por quê do novo nome do Miss Brasil ser “U Miss" Brasil. Segundo ele, a letra faz referência tanto à palavra Universo quanto ao termo em inglês You (você). “O conceito foi utilizado pois queremos descobrir a miss que está dentro de você, e isso quer dizer que, tendo a autoestima lá em cima, qualquer mulher pode ser uma miss na vida, sem precisar ter um corpo perfeito. Queremos valorizar a figura feminina”, diz.

A ideia é que o conteúdo do canal personifique esse conceito. Segundo Macêdo, além dos processos de seleção estaduais e municipais, programas vão trazer o dia a dia de misses antigas e também terá espaço para concursos internacionais.

“A gente discutiu muitas coisas, muitas propostas e eu sugeri programas que a equipe toda adorou. Além de fazer entrevistas com as misses, coisas da história e notícias atuais, devemos ter programas feitos por misses com qualquer tema, como inclusive turismo, mostrando a cidade da miss, ou até mesmo a profissão atual dela. A ligação da temática com o canal será a própria miss, que vai ser a apresentadora do vídeo”, detalha.

Macêdo é bastante reconhecido na indústria miss e é famoso por pilotar o site especializado "Miss News" e também por ter escrito uma biografia sobre a também baiana Martha Vasconcellos, segunda brasileira a vencer o Miss Universo, em 1968.

RECOMEÇO

Um logotipo azulado com uma coroa dourada no meio e letras também douradas emolduram o novo nome do evento. “Bem vindos à página oficial do Miss Brasil. Nosso objetivo é fazer o concurso crescer e empolgar cada vez mais, culminando com a coroa do Miss Universo, sempre!”, diz uma das postagens do perfil "U Miss".

Outras publicações no destino, que trazem mensagens como “o concurso Miss Brasil começa uma nova era” e “reverenciando o passado”, ilustram que a nova etapa da competição deve fazer uma parceria com as antigas vencedoras de sua história. Mais uma novidade é que a faixa deve voltar a ser verde e amarela, nas cores da bandeira nacional, abandonando os tons dourados da era “Be Emotion”. A revelação da faixa está em uma imagem publicada nos perfis, editada com nuvens ao fundo de um céu ensolarado.

O Miss Brasil até o ano passado era realizado pela gigante Polishop, por meio de sua marca de cosméticos Be Emotion, em parceria com a Band TV. Entretanto, no ano passado o contrato entre as empresas acabou e não foi renovado, descontinuando a realização da competição de beleza. Desde então, não houve notícia sobre o retorno da eleição, até agora.

A atual detentora do título é a mineira Júlia Horta, 26, que, eleita em março de 2019, está à frente do posto há um ano e quatro meses. "Independente de como será o anúncio, eu sei que vou passar a coroa, em um estúdio, que já me avisaram também. Estou aguardando!", contou Horta com exclusividade para a coluna.

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil e Miss Universo. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias, como a da Fox.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem