De faixa a coroa

Mister Supranacional fala do trabalho de enfermeiro na luta contra a Covid-19 nos EUA

Nate Crnkovich conquistou o título em 2019 e trabalha em hospital de Los Angeles

Nate Crnkovich é Mister Supranational e enfermeiro que atua contra a Covid-19 nos EUA Instagram/natecrnk

O atual cenário de pandemia afetou setores no mundo todo, mudando rotinas, hábitos e agendas. Não foi diferente com os concursos de miss, que adotaram, de forma geral, uma postura de espera para retomar 100% as atividades. Em paralelo a isso, os atuais titulares eleitos no ano passado têm mantido contato com o público pelas redes sociais e retomado suas atividades anteriores.

O norte-americano Nate Crnkovich, 25, eleito Mister Supranational 2019, no início de dezembro passado, é enfermeiro formado e atua na linha de frente em um hospital em Oxnard, na Califórnia (EUA), e tem usado sua principal rede social, que conta com quase 20 mil seguidores, não só para contar da sua rotina, mas também para alertar sobre os cuidados com o novo coronavírus.

“É para seguirem se cuidando e tomando todas as precauções, pois esse momento vai passar eventualmente e, aí, teremos muito mais gratidão por nossas vidas. Tentar ter um olhar mais atento e tirar coisas positivas desse momento é o mais importante. Assim, naturalmente vamos exercitar a gratidão”, disse em entrevista online com o diretor do CNB (Concurso Nacional de Beleza), Henrique Fontes.

O mister, que deixou o brasileiro Ítalo Cerqueira, 27, com o título de vice no Mister Supranational 2019, também tem trabalhado muito mais horas que o normal por causa da pandemia, para dar conta de ajudar o máximo que puder as pessoas contaminadas.

Segundo contou, a situação por lá, em relação à Covid-19, está relativamente controlada na região californiana em que ele está, principalmente devido ao respeito ao isolamento social. Mesmo assim, muitas pessoas foram infectadas por lá e o panorama, assim como no Brasil, é complicado e com muitas mortes.

DE ENFERMEIRO A MISTER

Nate seguiu a carreira médica inspirado em seu pai, que trabalhava como paramédico do Corpo de Bombeiros. Depois, jogando futebol americano, ele conseguiu uma bolsa de estudos integral para o curso de enfermagem, e aí se formou em dois anos.

O programa de bolsas era itinerante e acabou levando o mister à Califórnia, onde foi abordado por uma agência de modelos para fazer umas fotos. Logo em seguida apareceu o convite de disputar o nacional do Mister Supranational, que o levou posteriormente a representar seu país e vencer a disputa internacional.

Natural do estado de Nebraska, Nate recebeu na ocasião a faixa de Mister Supranational das mãos de seu antecessor, o indiano Prathamesh Maulingkar. Ele é agora o quarto ocupante do posto, que também já pertenceu ao mexicano Diego Garcy (2016) e ao venezuelano Gabriel Correa (2017).

De faixa a coroa

Fábio Luís de Paula é jornalista especializado na cobertura de concursos de beleza, sendo os principais deles o Miss Brasil e Miss Universo. Formado em jornalismo pelo Mackenzie, passou por Redações da Folha e do UOL, além de assessorias, como a da Fox.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem