Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Zapping - Cristina Padiglione

A morte de Maria Marruá em 'Pantanal': confira imagens de making of

Desafiada a virar onça, personagem de Juliana Paes é alvejada em nova vingança

Juliana Paes deixa a novela no início da segunda fase de 'Pantanal' - João Miguel Júnior/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Prestes a se despedir de sua primeira fase, "Pantanal" tem na morte de Maria Marruá, personagem agora vivida por Juliana Paes, um dos pontos emblemáticos do início da segunda etapa da novela. A viúva de Gil (Enrique Diaz) se livrou do homem que chegou à tapera do casal em busca de vingança, em mais uma bela sequência exibida nesta quinta-feira (7), mas ainda virão outras pessoas em busca de mais sangue. Tudo pelo homem que Gil atirou no Paraná, há mais de dez anos, para vingar a morte do filho Chico (Túlio Starling).

A sequência da morte de Maria Marruá consumiu longo expediente de gravação e de efeitos especiais, com muita gente por trás das câmeras, como se vê nas imagens que a coluna apresenta em primeira mão, na galeria de fotos abaixo. O duelo corporal entre Juliana Paes e Erom Cordeiro, que vive o capanga Lúcio, é parte da sequência em que ele a desafia a virar onça.

Nas fotos inéditas, Juliana faz as vezes do animal, como se arranhasse o colega, enquanto a fumaça da pólvora cenográfica mostra seus efeitos. A essa altura já crescida, Juma, interpretada por Alanis Guillen, se desespera ao ver a mãe dar seu último suspiro.

A TRAJETÓRIA DA BALA

Ainda no terceiro capítulo da novela de Bruno Luperi, escrita com base na obra do avô, Benedito Ruy Barbosa, Gil vingou a morte do último filho que restou a ele e a Maria antes de deixar as terras pelas quais pagou, mas não levou, no Paraná. O marido de Maria atirou no homem que mandou seus capangas armados para explusá-los das terras onde ele, o filho e outros amigos já trabalhavam, iniciando então um sistema de agricultura familiar.

Mas Gil atirou no algoz do filho diante da mulher do fazendeiro e de Rute, sua filha, ainda pequena. É essa menina, agora crescida, quem chegará ao Pantanal, na pele da atriz Bella Campos, acompanhada de Lúcio (Erom Cordeiro).

Por meio da chalana de Eugênio (Almir Sater), os dois alcançam as terras de José Leôncio (Renato Góes), onde Maria vivia com Gil e segue criando Juma, a essa altura já crescida e interpretada por Alanis Guillen. Lúcio tenta convencer Rute de desistir dessa história de justiça. Lembra a ela que a mãe e o pai estão mortos, dando a entender que é uma vingança sem sentido.

Eles não sabem que Gil já foi morto pelas mãos de um dos jagunços que enviaram, já que eles não voltaram para contar história (um foi morto pelo Velho do Rio, transformado em sucuri, e outro, por Maria. Em determinado momento, Lúcio resolve abandonar Rute e desistir de ajuda-la.

Rute então chegará sozinha à tapera de Maria e Juma, sendo surpreendida por Maria, que perguntará o que a moça está fazendo ali. Rute perde a fala diante do pavor que sente, engole seco e continua calada. Maria segue com a arma na mira da moça, que é salva pela compaixão de Juma. A filha pede que a mãe se acalme, pergunta à estranha se ela é muda, se está com medo e se está com fome. Rute só balança a cabeça indicando que sim.

A moça então será chamada como Muda, papel que foi de Andréa Richa na versão original. Muda passa ilesa da situação e acaba recebendo abrigo na tapera.

Um tempo depois, Maria estará sozinha na beira do rio, distraída, quando escuta alguém atrás dela. É Lúcio, dizendo que veio atrás do rastro de sangue que o marido deixou pra trás desde o Sarandí. Ela diz a Lúcio que a conta já foi paga, já que Gil está morto. Orgulhosa, conta que matou quem o matou. Logo entende que Muda está ligada a ele, que diz a Maria que ela era filha do fazendeiro morto no Sarandí.

Lúcio prepara a arma pra atirar em Maria. Já conhecendo a lenda de que ela vira onça, ele a desafia a se transformar no animal para se defender. A mãe de Juma de fato assume a forma de onça e parte para cima dele, que luta com ela, até conseguir atirar. Ferida, Maria, para por um momento, mas logo parte para cima de Lúcio novamente, sendo mais uma vez alvejada.

Ao escutar os disparos, Juma corre em busca da mãe, mas a encontra já sem vida. Sua dor é tão grande, que até Muda, que está ao seu lado, se comove.

As cenas estão previstas para irem ao ar a partir de terça-feira (12).

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem