Zapping - Cristina Padiglione

'O Clone' vira 2ª novela mais vista na história do canal Viva

Trama de Glória Perez só foi superada por 'O Cravo e a Rosa'

Murilo Benicio e Giovanna Antonelli - Globo

Novela de Glória Perez selecionada para abrir o aniversário de dez anos do Viva, “O Clone”, de 2001, foi o 2º folhetim mais visto na história do canal, perdendo apenas para “O Cravo de a Rosa” (2000), de Walcyr Carrasco, um clássico já em reprises.

Protagonizada por Giovanna Antonelli e Murilo Benício, a trama impactou, segundo o Viva, mais de 16,6 milhões de pessoas, plateia grandiosa para a TV paga. Durante o período de exibição, a história de clonagem humana com elementos da cultura do Marrocos ficou em 1º lugar da TV por assinatura em seus dois horários diários de exibição.

Desde segunda-feira (31), o título foi sucedido por “Mulheres Apaixonadas” (2003), de Manoel Carlos, autor que também estará no Vale a Pena Ver de Novo, a partir de segunda-feira (7), com “Laços de Família”. Ambas se passam no Leblon e trazem Tony Ramos e José Mayer em cena.


SUSPENSE

Nanda Costa publicou um click dos bastidores das gravações de “Amor de Mãe”, aqui com os irmãos e a mãe da ficção, Thiago Martins, Juliano Cazarré e Regina Casé. “Dessa vez, Domênico não escapa”, escreveu ela sobre a busca de Lurdes pelo filho vendido ainda criança pelo pai: no ar só em 2021.

Amor de mãe
ThiagoMartins, Juliano Cazarré, Nanda Costa e Regina Casé em Amor de Mãe, em tempos de pandemia - @nandacosta no Instagram

WAKANDA

Pelos dados de audiência da Kantar Ibope, a Globo soube que 46 milhões de espectadores assistiram ao filme “Pantera Negra” no Tela Quente de segunda-feira (31), o que não era alcançado na sessão desde novembro de 2019. A exibição foi uma homenagem a Chardwik Boseman, morto na sexta (28).

ESPÍRITA

Andréia Horta recebe o ator Pedro Paulo Rangel e o diretor Marcos Bernstein para falarem sobre a cinebiografia “Chico Xavier” no País do Cinema, pelo Canal Brasil, nesta quinta-feira (4), às 23h59.
“Eu estreei oficialmente em 1968”, disse Rangel, que lembrou o período difícil do AI-5 naquela ocasião.

“Você vê a gente chegar na situação que está agora, cercado de ameaças, com medo que a mordaça chegue. A situação é palpável. Eu não sou uma pessoa otimista, gostaria de ser, mas acho que a situação vai piorar bastante antes de começar a melhorar.”

O País do Cinema
Pedro Paulo Rangel, Andréia Horta e Marcos Bernstein em O País do Cinema, programa do Canal Brasil - Ana Paula Amorim/Divulgação

AUDIÊNCIA

37 pontos fez “Fina Estampa”, índice que a inédita “Amor de Mãe” nunca teve

33 pontos obteve o Jornal Nacional na segunda (31), acima dos últimos dias

A BOA DO DIA

Desafio da eliminação exige soluções rápidas dos candidatos ao Top Chef | Record, às 22h30

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem