Zapping - Cristina Padiglione

Novela que permanece atual, 'Vale Tudo' chega ao Globoplay

Para autor, sucesso na época e 30 anos depois ocorre porque corrupção não mudou

A atriz Beatriz Segall ficaria para sempre marcada por Odete Roitman, vilã de 'Vale Tudo' (1988), novela de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères. Credito Divulgacao TV Globo - Folhapress

Honrando a promessa de lançar um clássico das novelas a cada duas semanas, o Globoplay lança em sua plataforma para assinantes, nesta segunda-feira (20), uma produção que está em todas as listas de especialistas dos cinco melhores folhetins brasileiros de todos os tempos.

Criada a partir de uma pergunta do autor Gilberto Braga —vale a pena ser honesto no Brasil—, “Vale Tudo” foi escrita por ele, em parceria com Aguinaldo Silva e Leonor Bassères. A produção nos deu Odete Roitman, vilã vivida por Beatriz Segall, uma das figuras mais populares no imaginário nacional.

Já revisitada duas vezes pelo canal Viva em dez anos, a trama atraiu público sempre que foi ao ar. Para Braga, o que explica o sucesso atemporal é triste: “infelizmente, o Brasil não mudou nada em 30 anos”, disse ele à colunista quando o título voltou ao Viva, dois anos atrás. Referia-se à corrupção, mal longe de ser sanado no país.


PARA QUEM PODE

A Globo tem resumido aos programas de humor a liberdade de mencionar concorrentes, mas neste domingo (19), Fausto Silva quebrou o protocolo da casa ao mandar saudações “para Renato Lombardi, a Fabiola Reipert, filha do saudosíssimo Guilherme da Rádio Globo, e o Reinaldo Gottino”.

CONCORRÊNCIA

“A galera da Record”, completou Faustão. Não é todo mundo que pode se dar ao luxo de brindar justamente àqueles que mais derrotas trazem à Globo, por meio do Balanço Geral e o quadro A Hora da Venenosa, que em geral fatura audiência com fofocas sobre celebridades da própria Globo.


PROTEÇÃO

Antes mesmo que a máscara virasse regra, os maquiadores da Globo foram instruídos a adotar o recurso para maquiar os profissionais da casa. Agora, como mostra Sandra Annenberg, o cuidado é redobrado, com viseira e luvas. E cada um tem o seu kit de maquiagem, com tudo etiquetado.

Sandra Annenberg - maquiagem na pandemia
Sandra Annenberg e o maquiador na Globo - @sandra.annenberg no Instagram

PROTOCOLOS

Embora a Globo já esteja bem equipada com termômetros, máscaras, viseiras e álcool em gel em todos os seus endereços, é a aquisição de testes em largo número que poderá consolidar o protocolo de segurança da emissora, principalmente no antigo Projac, onde circulam milhares de pessoas por dia.


AUDIÊNCIA

29,6 pontos
teve o Jornal Nacional na quinta-feira (16), na Globo, em São Paulo

7,5 pontos
marcou o Jornal da Record na quinta (16); o SBT Brasil teve 6,5



A BOA DO DIA

"Morto não Fala", filme de Dennison Ramalho com Daniel de Oliveira
Canal Brasil, às 21h05​

Daniel de Oliveira em "Morto Não Fala" - capa
Daniel de Oliveira em "Morto Não Fala" - capa - Divulgação

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 48, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem