Colo de Mãe

Mães e pais podem ajudar filhos a ter metas e a alcançar seus objetivos em 2020

'Organizar-se e ter metas claras é muito positivo para as crianças', diz especialista

Fotolia
Descrição de chapéu Agora

Eu sempre gostei de ter uma lista de metas anuais. Na adolescência, escrevia tudo em uma agenda nova. E foi assim até chegar à vida adulta e me tornar mãe. Parei de fazer listas. O motivo é que, ao não alcançar os meus objetivos —e eles eram sempre muito altos—, eu comecei a me sentir extremamente frustrada.

Como não queria passar este sentimento para as minhas filhas, parei de colocar tudo no papel. O fato é que o tempo passa —já sou mãe de uma adolescente e de uma menininha de sete anos—, e o passar dos anos me fez entender que está tudo bem não atingir os altos objetivos que eu colocava para mim como mãe, mulher, amiga e profissional.

Neste ano, eu entendi que a frustração faz parte do processo de formação de um ser humano, pois “o que não mata, fortalece”, como diz o ditado. Também compreendi que ter metas é uma forma de ter um rumo na existência. E isso é importante para as crianças que estão em formação.

Mas, tão importante quanto buscar concretizar um objetivo —ou vários, é aprender a se perdoar caso não chegue lá e saber lidar com as intempéries do caminho. Com essa nova consciência, aprendi que devo ensinar minhas meninas a terem metas, a falarem sobre elas e a redimensionarem o que desejam, caso as estratégias não estejam dando certo.

Segundo a especialista em desenvolvimento humano Rebeca Toyama, organizar-se e ter metas claras é muito positivo para as crianças. A dica para que tudo dê certo é “colocar pequenas metas ao longo do ano e fazer algumas celebrações no meio do caminho”. 

Se o objetivo não for alcançado, é preciso entender que a frustração é um dos processos do amadurecimento humano. “A gente precisa urgentemente entender que frustração não mata. Se tem um jogo, por exemplo, um ganha e outro perde, faz parte”, ensina.

Uma das formas de fazer com que objetivos sejam atingidos mais facilmente, diz Rebeca, é dividir com os filhos o sucesso e o fracasso. “O ser humano aprende com o exemplo”, afirma.

Desafios | Veja dicas do que fazer

Exemplo é tudo

A especialista em desenvolvimento humano Rebeca Toyama diz que, para ter sucesso ao ajudar os filhos com as metas, os pais precisam dar exemplo. Segundo ela, sermões não ajudam a conseguir mudança de comportamento. "Em geral, a nascente do problema da indisciplina dos filhos parte dos pais. O ser humano, como todos os mamíferos, aprende com exemplos", ensina.

Pequenas metas

Estipular pequenas metas para que os grandes objetivos sejam conquistados é um dos caminhos para se ter sucesso. "Não se deve esperar o resultado final na escola para parabenizar só no fim", ensina Rebeca. O contrário também é válido. "Se não se está indo bem, é preciso falar para a criança", afirma a especialista.

Novas experiências

A geração de repertórios e experiências ajuda muito a ampliar o horizonte das crianças e dos adolescentes, explica a especialista, por isso, além das metas específicas, é preciso ter outras experiências para crescer como ser humano. "A única obrigação do filho é tirar nota? Não pode ser assim, é preciso ter metas de inteligência emocional e espiritual, por exemplo."

Felicidade

Os pais não podem esquecer que a grande busca humana é pela felicidade; ao colocarem metas que vão além, como as espirituais, as de inteligência emocional e as de saúde, é possível ajudar o filho a enxergar o mundo de outra forma e ser mais feliz.

Agora

Colo de Mãe

Cristiane Gercina, 41, é mãe de Luiza, 13, e Laura, 8. É apaixonada pelas filhas e por literatura. Graduada e pós-graduada pela Unesp, é coordenadora-assistente de Grana do jornal Agora, empresa do Grupo Folha. Quer ver o desenho do seu filho publicado na coluna? Envie-o para o e-mail colodemae@grupofolha.com.br com nome completo e idade da criança, nome e celular do responsável.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem