Aventura na cozinha

Negroni e Cardinale são aperitivos italianos e ótima opção para happy hour e antes da refeição

Os drinques são preparados com o bitter italiano Campari; veja receita

O Cardinale é uma bebida que mistura bitter italiano a gim e vermute seco - Divulgação

Descrição de chapéu Agora

Olá, cozinheiros! Bem-vindos a mais uma aventura na cozinha!

Hoje vamos falar de bebida! Particularmente, do meu drinque favorito, o Negroni (e uma variação dele, o Cardinale). Esse coquetel é para paladares fortes. Amargo e intenso, ele é perfeito para ser tomado antes das refeições.

Simples de preparar e feito com bebidas fáceis de encontrar, o Negroni é um drinque clássico, que remonta ao início do século 20. Segundo o livro “The Joy of Mixology” (“A Alegria da Mixologia”, em tradução livre), do lendário bartender Gary Regan, conta-se que um certo Conde Negroni criou o coquetel ao pedir para um bartender italiano substituir a club soda, em seu Americano, pelo gim, em 1919.

Porém, as primeiras receitas impressas do Negroni só foram aparecer em 1955. Já o Cardinale (da receita de hoje), um Negroni com uma pequena variação (o vermute seco, no lugar do tinto), parece ter aparecido nos anos 1930, no Excelsior Hotel, em Roma (ou no Harry’s Bar, em Veneza), de acordo com o Difford’s Guide.

De qualquer jeito, o que acontece é que este drinque se tornou um clássico e, atualmente, toma conta dos bares paulistanos também. Para preparar, há algumas dicas de ouro. Primeiro, conheça as bebidas e escolha ingredientes de boa qualidade.

O gim é um destilado de botânicos no qual predomina, em geral, o aroma de zimbro. O Campari é um bitter potável italiano. Já os vermutes (brancos secos ou tintos doces) são uma espécie de vinho aromatizado e fortificado com brandy.

Hoje em dia, são usados gelos grandes para a composição, pois eles não “aguam” o coquetel e o mantêm gelado. Para que o gelo não rache nem quebre durante o preparo do drinque, a dica é do bartender Gilliard Carneiro: misture as bebidas em outro recipiente antes de despejá-las sobre ele.

O choque térmico pode rachá-lo. Use gelo normal, porém, na impossibilidade de ter um desse tipo maior (que pode ser preparado em fôrmas especiais ou mesmo em um pote; para isso, coloque água em um pote plástico, desenforme e corte com uma boa faca no tamanho desejado).

O último truque é usar sempre laranja-baía para a decoração, que, sinceramente, é muito mais do que decoração. Esse tipo de laranja é mais aromático do que os outros. Desta forma, seus óleos essenciais passam a fazer parte da bebida, conferindo um dulçor e uma picância característicos. Outras laranjas não têm o mesmo efeito no coquetel.

Vamos para o bar? Até a próxima!


CARDINALE

Ingredientes

1 medida (40 ml) de gim
1 medida (40 ml) de Campari
1 medida (40 ml) de vermute seco (para o Negroni, use vermute tinto)
Casca de laranja-baía para decorar (pedaço com cerca de 10 cm x 3 cm)

Dificuldade: Fácil
Rendimento: 1 drinque

Modo de fazer

1 - Misture todos os ingredientes líquidos em um copo com gelo
2- Despeje sobre um copo de uísque (conhecido como “on the rocks”)
3- Sirva com o pedaço de casca de laranja

DICA! Se quiser aumentar ou reduzir a medida do drinque, não tem problema. O importante é sempre manter quantidades iguais de cada bebida durante o preparo.

Agora

(A)ventura na cozinha

Juliana Ventura, 33, é jornalista formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), pós-graduada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi e professora de culinária para crianças.
email: aventuranacozinha@grupofolha.com.br
Instagram: @venturanacozinha

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem