Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Kim Cattrall Instagram/kimcattrall

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Alexis Soloski
The New York Times

ALERTA SPOILER: Reportagem contém spoiler dos primeiros episódios de "And Just Like That"

Quer dizer que Samantha é só o nome de uma bolsa, agora? No último dia 9, os dois primeiros episódios de "And Just Like That" estrearam na HBO Max, dando início ao retorno tilintante da franquia "Sex and the City", com sua primeira produção nova desde o desastroso filme "Sex and the City 2", de 2010.

Kim Cattrall já tinha se afastado da franquia, e se recusou a participar de um possível terceiro filme. Os trailers da nova série não explicaram a ausência de sua personagem, Samantha. Os fãs repararam em uma cena de almoço na qual a cadeira normalmente ocupada por Samantha estava em lugar disso ocupada por uma bolsa de couro claro e por uma sacola de compras da grife Oscar de la Renta. Que frieza.

Os primeiros momentos do primeiro episódio, que mostra a Carrie de Sarah Jessica Parker, a Miranda de Cynthia Nixon e a Charlotte de Kristin Davis curtindo a casa dos 50 anos, explicam brevemente o desaparecimento de Samantha. Assim, se você é capaz de tolerar um modesto "spoiler", continue lendo. E, se você é capaz de aguentar um "spoiler" muito, muito maior, leia até o final.

Enquanto esperam uma mesa, as amigas encontram Bitsy von Muffling (uma personagem muito querida, interpretada pela igualmente querida Julie Halston). Quando Bitsy pergunta sobre Samantha, elas dizem que a amiga se mudou para Londres, por motivos de trabalho. (Será que esse é um pequeno aceno dos roteiristas à realidade? Afinal, Cattrall agora dedica boa parte de seu tempo ao teatro londrino.)

"Sereias sexy na casa dos 60 continuam viáveis por lá", diz Bitsy, em tom de aprovação. Em uma cena pós-almoço, Carrie e Miranda discutem o distanciamento. A situação do mercado editorial significava que Carrie já não precisava de uma agente de imprensa.

E quando ela dispensou os serviços de Samantha, Samantha a dispensou como amiga. Todas tentaram entrar em contato, por telefone e mensagem de texto, mas Samantha jamais respondeu. Essa conversa parece aludir, de modo elíptico, à suposta briga entre Parker e Cattrall na vida real.

A revista Elle publicou uma cronologia detalhada do desentendimento, que começou na década de 2000 com referência veladas a disparidades de cachê e continuou ao longo da década de 2010, quando Cattrall se recusou a participar de um terceiro filme, culminando em 2018 ao modo mais 2018 que se poderia imaginar: uma troca quente de insultos no Instagram.

"Sempre achei que nós quatro seríamos sempre amigas", diz Carrie, melancolicamente. Bem. (Em tom bem menos carinhoso, ela acrescenta: "E achei que eu fosse mais do que um caixa automático, para ela".)

Sem a libertinagem de Samantha, a nova versão tem um clima mais sóbrio, sublinhado por uma grande virada que surge no final do primeiro episódio. Em um artigo no qual ele fazia uma prévia da nova série, o showrunner Michael Patrick King disse ao The New York Times que "ninguém morreu. Ninguém". Mas isso só é verdade pela primeira meia hora de "And Just Like That".

O projeto abandonado do terceiro filme aparentemente teria começado por um ataque cardíaco de Mr. Big (Chris Noth), o marido de Samantha, no chuveiro. Noth negou que essa fosse a história, naquele momento, mas é assim que termina o primeiro episódio.

Bem, tecnicamente o ataque cardíaco acontece ao lado do chuveiro, mas... Samantha envia uma coroa elegante ao funeral, sinalizando uma reaproximação. Ou pode ser que associar a personagem a um caixão tenha significados mais sombrios.

Há outras mudanças, como a inclusão de quatro novas personagens, interpretadas por Sarita Choudhury, Nicole Ari Parker, Karen Pittman e Sara Ramírez, nenhuma delas branca. O primeiro episódio apresenta as três últimas dessas personagens; a corretora de imóveis interpretada por Choudhury aparece mais tarde.

E embora Stanford Blatch (Willie Garson) estivesse presente nos primeiros episódios, a morte do Garson durante as gravações forçou os criadores da série a inventar uma saída rápida. Carrie agora é apresentadora de um podcast. Miranda trocou o direito empresarial pela defesa dos direitos humanos. Charlotte continua a ser Charlotte. Os saltos? Bem altos. As críticas? Variam muito.

Traduzido originalmente do inglês por Paulo Migliacci

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem