Cinema e Séries

Stranger Things: Millie Bobby Brown é a atriz da série mais buscada pelos brasileiros

Pesquisa revela que a personagem Eleven também é a mais pesquisada

Atriz Millie Bobby Brown na premiere da 3ª temporada de Stranger Things em Santa Monica (EUA)
Atriz Millie Bobby Brown na premiere da 3ª temporada de Stranger Things em Santa Monica (EUA) - AFP
São Paulo

A divulgação da terceira temporada de Stranger Things está pesadíssima e não se fala de outra coisa além da estreia do novo ano na próxima quinta-feira (4).

Depois da Netflix divulgar o "Netflix Antena", um aplicativo em parceria com a marca Bombril de conteúdos exclusivos, a Sem Rush, uma empresa de marketing digital, divulgou um balanço de buscas a respeito de uma das séries mais queridas pelo público.

Levando em conta tudo o que foi buscado em sites como Bing e Google entre o período de junho de 2016 e julho de 2019, a atriz Millie Bobby Brown, 15, é a líder absoluta de pesquisas, com mais de 2,5 milhões de acessos em páginas que mostram resultados sobre a intérprete da pequena Eleven.

A atriz que sucede Bobby Brown é Winova Ryder, 47, a mãe coruja de Joyce na série. Ela tem mais de 1,7 milhão de buscas, mas o ápice de pesquisas de seu nome se deram depois da segunda temporada, no final de 2017.

Pensando agora nos personagens da série, Eleven é a protagonista e a grande campeã de pesquisas, acumulando mais de 490 mil desde o lançamento oficial do seriado jovem. Seguindo a lista, tem-se Billy, com 96,6 mil pesquisas no segundo lugar; Barba com 87,7 mil buscas garantindo o terceiro lugar.

10 atores e atrizes de Stranger Things mais pesquisados

  1. Millie Bobby Brown

    2,5 milhões

  2. Winona Ryder

    1,7 milhões

  3. Finn Wolfhard

    1,5 milhão

  4. Gaten Matarazzo

    808 mil

  5. Natalia Dyer

    736 mil

  6. Noah Schnapp

    638 mil

  7. David Harbour

    601 mil

  8. Charlie Heaton

    489 mil

  9. Dacre Montgomery

    416 mil

  10. Sadie Sink

    346 mil

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem