Carnaval 2018

Primeira noite de desfile no Rio teve público apático

Arquibancadas e camarotes não foram tão prestigiados por famosos se comparado a anos anteriores

Ísis Valverde no camarote Nº 1 para acompanhar os desfiles das escolas de samba do Rio
Ísis Valverde no camarote Nº 1 para acompanhar os desfiles das escolas de samba do Rio - Divulgação/Manuela Scarpa

Julianna Granjeia Bernardo Moura
Rio de Janeiro

A primeira noite de desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro na Sapucaí, neste domingo, foi marcada por um público apático nas arquibancadas e camarotes não tão prestigiados por famosos quanto nos anos anteriores.

Único político a comparecer na avenida, o senador Romário aproveitou a passagem pelo camarote da Itaipava para criticar o prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

"Ele foi eleito pelo povo e tem que ir onde o povo está. Ele é um babaca, um merda", afirmou o pré-candidato ao governo do Rio pelo Podemos.

A rainha do espaço Itaipava foi a cantora Pablo Vittar, que vai estrear na Sapucaí desfilando pela Beija Flor na segunda.

"É a realização de um sonho de infância. Sempre acompanhei pela TV quando eu era criança lá no Maranhão. Minha mãe é torcedora da Mocidade e pedi pra ela me ver na Beija-flor", contou Pablo.

Entre as celebridades que passaram pelo camarote Nº 1, Mariana Ximenes, que desfilou pela Mangueira, Ísis Valverde, que foi rainha do baile do Copacabana Palace, e André Marques, que bate ponto nos camarotes da passarela há pelo menos 25 anos.

No estreante camarote Wood's, quem monopolizou a atenção foi a atriz Larissa Manoela, também pela primeira vez na Sapucaí.

"Sempre acompanhei pela televisão, mas não fazia ideia de como era ao vivo. É uma sensação muito boa", disse a atriz.

Valesca Popozuda revela que novo clipe será lançado após o Carnaval

Inspirada pelo lema que se popularizou neste Carnaval, a cantora Valesca  Popozuda disse que a frase "não é não" estará presente no seu novo clipe que será lançado após o Carnaval.

O clipe de "Desce o Gim" foi gravado na Vila Mimosa - tradicional zona de prostituição no Rio de Janeiro. Nele, Valesca aparece com uma tatuagem onde se lê "Não é não".

O lema se popularizou entre as mulheres em reação aos assédios sofridos, principalmente nos blocos de carnaval país afora.

Valesca Popozuda no camarote Nº 1 no primeiro dia de desfile das escolas de samba do Rio
Valesca Popozuda no camarote Nº 1 no primeiro dia de desfile das escolas de samba do Rio - Felipe Panfili/Divulgação
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem