Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui para continuar.

Celebridades
Descrição de chapéu Todas Itália machismo

Primeira-ministra italiana se separa após marido ser criticado por comentários supostamente sexistas

Áudios vazados na imprensa mostram frases polêmicas de Andrea Giambruno

Giorgia Meloni - Filippo Monteforte - 17.out.2022/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Reuters

A primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, anunciou nesta sexta-feira (20) que se separou de seu parceiro jornalista de televisão Andrea Giambruno, que foi criticado nas últimas semanas por comentários supostamente sexistas. Meloni disse aos repórteres no mês passado que não deveria ser julgada pelas falas de Giambruno e que, no futuro, não responderia a perguntas sobre o comportamento dele.

A separação ocorre no momento em que a primeira-ministra, de 46 anos, comemora seu primeiro ano no cargo, à frente de um governo de coalizão de direita que defende a família tradicional como uma de suas marcas políticas.

"Meu relacionamento com Andrea Giambruno, que durou quase 10 anos, termina aqui", escreveu Meloni em suas contas nas redes sociais. "Nossos caminhos divergiram por algum tempo, e chegou a hora de reconhecer isso", acrescentou.

Meloni disse que não se deixaria distrair por dificuldades em sua vida privada, afirmando que "todos aqueles que esperavam me enfraquecer me atacando em casa" não terão sucesso.

O casal, que se conheceu em um estúdio de TV em 2014, tem uma filha de sete anos.

Giambruno, de 42 anos, é o apresentador de um programa de notícias transmitido pela Mediaset, parte do grupo de mídia MFE, de propriedade dos herdeiros do falecido Silvio Berlusconi, ex-primeiro-ministro e aliado de Meloni.

Esta semana, outro programa de televisão satírico de atualidades da Mediaset transmitiu trechos de vídeo fora do ar do programa de Giambruno, mostrando-o usando linguagem chula, tocando sua virilha e parecendo fazer avanços em uma colega. "Por que eu não te conheci antes?", ele pergunta a ela.

Em uma segunda gravação de áudio que foi ao ar na quinta-feira, Giambruno é ouvido falando sobre um caso e dizendo às colegas que elas podem trabalhar com ele se participarem de sexo grupal.

Em agosto, o jornalista de TV foi amplamente criticado por comentários interpretados por muitos como difamação da vítima, após um caso de estupro coletivo.

Giambruno não estava imediatamente disponível para comentar.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem