Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Bruno Luperi revela que sofreu ataques pela morte de personagem em 'Pantanal'

Autor diz que pretende manter tramas pensadas por Benedito Ruy Barbosa: 'Doa a quem doer'

Bruno Luperi, de camisa branca e calça jeans, aparece sentado em uma cadeira do seu escritório e sorri para a câmera
Bruno Luperi faz mistério sobre os próximos acontecimentos da trama - Mauricio Fidalgo/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

A morte de Madeleine (Karine Teles) tal como aconteceu na primeira versão de "Pantanal", em 1990, trouxe problemas para o autor Bruno Luperi, 35. Neto de Benedito Ruy Barbosa e responsável pelo remake na Globo, ele revelou que sofreu ataques pelo fim trágico da mãe de Jove (Jesuíta Barbosa). "Algumas questões pensadas lá atrás podem mudar, outras não. Doa a quem doer, temos que respeitar. O pessoal me xingou, me culpou [pela morte], mas a novela foi concebida assim", admite ele.

Luperi manteve segredo sobre a aguardada cena em que Alcides (Juliano Cazarré) terá o órgão genital decepado por Tenório (Murilo Benício). "Ninguém vai ver a novela se eu responder tudo. Mas alguns eventos têm que acontecer, talvez não da forma como foram concebidos", deixa escapar o autor em entrevista ao jornal O Globo.

Ele também contou que alguns assuntos abordados e personagens na primeira versão da trama ganharam outro peso. "Estamos sentindo isso em relação a Maria Bruaca [Isabel Teixeira]. Há um olhar mais sensível para o papel da mulher, sobre o que é o machismo, uma relação tóxica", avalia para completar o raciocínio.

"A sociedade está muito mais atenta para as nuances. A novela não tem um caráter moralizador, mas tem que apresentar a realidade", finaliza Luperi.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem