Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Amber Heard se emociona ao ler mensagens de Johnny Depp desejando sua morte

'Espero que o carma entre em ação e tire o dom da respiração dela', escreveu ator

A atriz Amber Heard - AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A atriz Amber Heard, 36, chorou no tribunal quando mensagens de texto escritas por Johnny Depp, 58, foram lidas em voz alta. Em uma das mensagens, o ator desejava que ela morresse e ainda se referiu a ela como uma garimpeira.

Nesta quarta-feira (25), Depp negou novamente todas as alegações de abuso e agressão contra ele, chamando-as de "inimaginavelmente brutais" e "todas falsas". Então, a equipe de Heard, na hora do interrogatório do ator, trouxe algumas mensagens como prova.

No texto, enviado em 15 de agosto de 2016, Depp diz que Heard estava "implorando por uma humilhação global total" após pedir o divórcio e obter uma ordem de restrição de violência doméstica contra o ator, e ele chegou a desejar que o carma "tirasse o dom da respiração dela".

"Não tenho misericórdia, sem medo e nem um pingo de emoção, ou o que eu uma vez pensei que era amor por essa escavação de ouro", começou ele, que classificou Heard como uma "stripper de 50 centavos". "Ela vai bater na parede com força! E eu mal posso esperar para ter esse desperdício fora da minha vida."

"Eu não a tocaria com uma maldita luva. Só posso esperar que o carma entre em ação e tire o dom da respiração dela", completava a mensagem. Segundo o site People, no momento em que as mensagens foram lidas, Heard ficou visivelmente emocionada e foi vista enxugando os olhos.

O processo se concentra em uma ação que o ator moveu contra Heard, que escreveu um editorial para o jornal Washington Post em 2018, dizendo que ela havia se tornado uma "figura pública que representa abuso doméstico". Depp iniciou o julgamento em março de 2019, e afirmou que as acusações de Heard eram um "farsa elaborada" para aumentar sua personalidade pública.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem