Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades
Descrição de chapéu BBC News Brasil

Johnny Depp x Amber Heard: A repentina mudança de estratégia da defesa da atriz

A atriz Amber Heard - Steve Helber - 23.mai.2022/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Holly Honderich - BBC News
BBC News Brasil

Os advogados de Amber Heard não chamarão Johnny Depp para testemunhar, garantiu uma fonte próxima à atriz americana, marcando uma virada em sua estratégia de defesa em meio ao julgamento que vem ocupando o noticiário de celebridades.

A equipe de Heard planejava intimar Depp para testemunhar novamente, mas, sem explicação, mudou de ideia. Depp, de 58 anos, processou sua ex-esposa por difamação em uma coluna de 2018 que ela escreveu para o jornal americano The Washington Post, na qual ela alegou ter sido vítima de abuso doméstico sem citar nomes. O ator pede US$ 50 milhões (R$ 240 milhões).

Por sua vez, Heard, de 36 anos, apresentou uma reconvenção —ou seja, processa Depp de volta— pelo dobro do valor. Espera-se que esta semana termine a fase de depoimentos e argumentos de ambas as partes. O júri irá então deliberar até que um veredicto seja alcançado.

LONGA LISTA DE TESTEMUNHAS

A supermodelo britânica Kate Moss, que se envolveu romanticamente com Depp, está entre o grupo de testemunhas que vão depor esta semana. Na segunda-feira (23), o tribunal de Fairfax, na Virgínia (EUA), ouviu várias testemunhas solicitadas pela equipe de Heard, incluindo o psicólogo David Spiegel.

Spiegel testemunhou que Depp "tem comportamentos consistentes com alguém que sofre de um transtorno por uso de substâncias, bem como um perpetrador de violência doméstica". Entre 40% e 60% dos casos de violência doméstica ocorrem sob a influência de álcool ou transtornos por uso de substâncias, disse Spiegel ao júri.

No seu turno, os advogados de Depp se concentraram em minimizar essa argumentação, alegando que Spiegel havia chegado a essas conclusões sem ter tido contato direto com Depp. Também testemunhou na segunda-feira um cirurgião especializado em mão que disse ser improvável que o dedo de Depp tenha sido cortado durante uma briga com Heard na Austrália, como ele afirmou.

Depp disse que seu dedo indicador foi ferido quando Heard jogou uma garrafa de vodca nele. O júri viu imagens gráficas do dedo ferido de Depp, enquanto Richard Moore disse que o dano era mais consistente com um ferimento causado por uma porta fechada. Moore não examinou Depp no ​​momento da lesão.

ARGUMENTOS OPOSTOS

A equipe de Heard deve encerrar sua argumentação no início da semana. Depois disso, a equipe de Depp terá sua última chance de tentar convencer o júri. Spiegel e Moore são apenas dois entre uma série de especialistas chamados para depor. Um psicólogo, convocado pela equipe de Depp, testemunhou que Heard sofria de dois transtornos de personalidade.

Outro, convocado pela equipe de Heard, rejeitou o argumento e alegou que Heard sofria de síndrome de estresse pós-traumático. Tanto Heard quanto Depp testemunharam durante esta batalha judicial de semanas, dando visões radicalmente diferentes de seu casamento breve e tempestuoso.

Heard disse que Depp era propenso ao "uso excessivo de drogas e álcool, explodia facilmente por sentimentos de ciúme, e muitas vezes era consumido por raivas violentas". Depp, por sua vez, alegou que foi vítima das mudanças de caráter voláteis, dizendo ao júri que sofreu rotineiramente "abuso verbal, emocional e físico" da atriz.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem