Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Johnny Depp vai depor em caso de difamação contra Amber Heard

Ator e ex-esposa se enfrentam no tribunal em Virgínia, nos EUA

O ator Johnny Depp - Jim Watson - 19.abr.2022/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Lisa Richwine
Estados Unidos
Reuters

O ator Johnny Depp, 58, irá depor em um tribunal da Virgínia, nos Estados Unidos, nesta terça-feira no julgamento por difamação, em que acusa a ex-mulher e atriz Amber Heard, 35, de arruinar sua carreira com falsas acusações de violência durante o relacionamento.

Depp alega que Heard o difamou quando escreveu um artigo em dezembro de 2018 no Washington Post sobre ser uma sobrevivente de violência doméstica. Ele entrou com uma ação de US$ 50 milhões, cerca de R$ 233 milhões, contra Heard em 2018.

O artigo não mencionou Depp pelo nome, mas o advogado do ator, Benjamin Chew, disse aos jurados há uma semana que estava claro que Heard se referia ao artista de Hollywood. Os advogados de Heard argumentaram que ela disse a verdade e que sua opinião estava protegida como liberdade de expressão pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

Testemunhas chamadas pelos advogados de Depp incluíram amigos do astro de "Piratas do Caribe" e um médico e uma enfermeira que disseram que o trataram por abuso de substâncias. As testemunhas afirmaram que sabiam das discussões entre o casal, mas não testemunharam agressão física de Depp contra Heard.

Um juiz do tribunal estadual do condado de Fairfax, na Virgínia, está supervisionando o julgamento, que está em sua segunda semana e deve durar seis semanas. Menos de dois anos atrás, Depp perdeu um caso de difamação contra o The Sun, um tablóide britânico que o rotulou de "espancador de esposas". Um juiz da Suprema Corte de Londres determinou que ele agrediu Heard repetidamente.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem