Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades
Descrição de chapéu surfe

Cauã Reymond diz que viveu momentos de tensão nas Maldivas: 'Barco quase virou'

Ator afirma que correnteza estava muito forte enquanto tentava surfar

Cauã Reymond
O ator Cauã Reymond - Cauã Reymond no Instagram
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O ator Cauã Reymond, 41, disse que viveu momentos de tensão ao ser arrastado pela correnteza enquanto tentava surfar nas Ilhas Maldivas. Em vídeos publicados no Stories do Instagram no domingo (17), ele agradeceu a guia Anne dos Santos, que retirou ele e outros surfistas do mar.

"A gente passou por uma situação muito delicada e se não fosse a Anne, a nossa guia, eu não sei o que teria acontecido com a gente", afirmou.

O ator contou que estava ventando muito e tinha muita correnteza no mar. "A gente estava tentando surfar em frente a uma ilha", disse. Por causa das condições atípicas o grupo todo, formado por oito pessoas, acabou se dispersando. Foi quando a guia entrou no mar e conseguiu juntar a maior parte dos surfistas.

"Depois de uma breve conversa a gente decidiu que era melhor ir em direção à bancada de coral vivo, porque a correnteza estava levando a gente para dentro do oceano", disse. "O barco que nos levou quase virou", acrescentou.

Depois de chegarem na ilha, Cauã afirmou que Anne ainda voltou para salvar dois surfistas que tinham ficado no ponto perigoso. "A Anne teve voz de comando, foi muito corajosa, eu agradeço de todo o coração", concluiu.

Passado o susto, na manhã desta segunda (18), o ator disse que iria mergulhar pela primeira vez. Após as gravações da novela "Um Lugar ao Sol", trama inédita das nove que estreia na Globo em 8 de novembro, Cauã curte férias com a mulher, a modelo Mariana Goldfarb.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem