Celebridades
Descrição de chapéu palmirinha

Palmirinha recorda seu lado empreendedor e diz ter saudade de aglomerar

Aos 90 anos, apresentadora celebra carreira e fala em reconhecimento

Palmirinha Onofre Robson Ventura - 17.jan.19/ Folhapress

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A vovó mais querida do Brasil está on. Aos 90 anos, Palmira Onofre, a Palmirinha, está longe da TV e sem projetos nessa área, mas isso não significa que sua carreira esteja parada. Além da nova edição de seu livro com mil receitas, lançada neste ano, seus empreendimentos também seguem a todo vapor.

“É um reconhecimento do meu amor e dedicação ao trabalho”, afirma ela sobre o sucesso de "O Grande Livro da Palmirinha" (editora Alaúde), lançado pela primeira vez em 2014 e que ela dedica “a todas as pessoas que não desistem de lutar por seus sonhos, por mais difíceis que eles possam parecer".

Seu recado é em especial às mulheres chefes de família que precisam se virar para sustentar os filhos, muitas vezes cozinhando quitutes, doces ou vendendo marmitas para fora. Palmirinha, que tem 30 anos de TV, diz que entende bem essa luta, já que criou suas três filhas sozinha na década de 1970.

“A força da mulher dentro de uma família é muito grande e persistente. Minha mensagem para elas é que continuem lutando e conquistando cada vez mais espaço e destaque no segmento culinário, façam sempre tudo com muito amor e nunca desistam de alcançar seus sonhos”, afirma em entrevista ao F5.

Palmirinha reconhece que o momento é dessas mulheres, principalmente devido à crise provocada pela pandemia. Segundo pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), o número de empreendedores por necessidade saltou de 20,3% em 2019 para 53,4% em 2020. Muitos desses com foco na culinária.

Ela foi uma dessas mulheres muito antes de iniciar sua carreira na TV —de forma despretensiosa, por sinal. Foi uma aparição no Programa Sílvia Popovic (SBT), no final dos anos 1980, e depois um convite de Ana Maria Braga, na época no comando do Note e Anote (Record), que deixaram ela conhecida.

Foi na Gazeta, no fim dos anos 1990, que Palmirinha virou apresentadora, permanecendo na emissora por 13 anos. Depois disso, ela ainda comando o Programa da Palmirinha, no extinto Fox Life, e participou do Chef ao Pé do Ouvido, da GNT. Tudo isso, sem deixar de empreender.

“Tenho muito orgulho da minha vida anterior à TV, onde, apesar das inúmeras dificuldades financeiras e familiares, pude criar minhas três filhas com muita dignidade, aperfeiçoando minhas aptidões na culinária”, relembra ela, que hoje também tem uma cafeteria, a Casa Vovó Palmirinha, em São Paulo.

Com a pandemia, Palmirinha, como todo mundo, também teve que se reinventar. Por isso, sua cafeteria, localizada na avenida Paulista, aderiu ao serviço de entrega de seus bolos, cafés e salgados, incluindo sua famosa empadinha. Já ela teve que se isolar, ficando distante até mesmo de parte da família.

Em 29 de junho, dia de seu aniversário, no entanto, ela pôde segurar no colo a nova bisnetinha, nascida em maio deste ano. “Foi só um bolinho com alguns familiares, todos já vacinados e sem aglomeração, mas muito emocionante”, conta ela, que aguarda o fim da pandemia e, quem sabe, novos projetos.

“A pandemia tem sido um grande desafio para todos nós. Sinto falta das pessoas, das gravações, da animação que sempre tive perto de mim. Sinto muita falta dos meus familiares e, principalmente, dos netos e bisnetos, mas é preciso ter paciência e esperar tudo isso passar”, diz.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem