Celebridades

Pai de Britney Spears desiste de ser tutor da cantora após 13 anos

James Spears tinha controle de questões pessoais e comerciais

Britney Spears
Britney Spears - Instagram/britneyspears
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após 13 anos, Jamie Spears desistiu de ser tutor da filha Britney Spears, 39, nesta quinta-feira (12), segundo a Variety. Em documentos enviados ao tribunal, ele concordou em deixar o cargo que ocupa e quer trabalhar em uma transição ordenada para o novo tutor.

"Mesmo o senhor Spears sendo alvo incessante de ataques injustificados, ele não acredita que uma batalha pública com a sua filha sobre seu serviço como tutor dela seria de seu interesse", diz os documentos.

Mesmo que tenha desistido do cargo de tutor a cantora, nos documentos Spears defende que não há motivos legais para a mudança e questiona se neste momento isso seria o melhor para a filha. "Não há, de fato, motivos reais para suspender ou remover o senhor Spears como o tutor da carreira e das propriedades".

Britney estava travando uma batalha judicial para retirar do pai o controle de questões pessoais e comerciais da cantora. Desde 2008, Spears colocou a filha sob ordem judicial quando ela sofreu um colapso público.

A reviravolta acontece pouco mais de um mês depois de a Justiça americana ter negado o pedido da defesa de Britney para retirar o pai da tutela. A decisão não levou em consideração o depoimento de Britney Spears quando a cantora deu um testemunho explosivo sobre o caso, em que criticou duramente seu pai e o acusou de abuso de tutela.

A decisão estava vinculada a um pedido apresentado no ano passado por Samuel Ingham, advogado da artista, para remover o pai dela da tutela. Naquela época, a juíza Brenda Penny já tinha negado suspender Jamie Spears do controle das finanças e vida da filha, embora não tenha descartado futuras petições.

Também na época, a juíza nomeou a empresa Bessemer Trust como curadora conjunta do patrimônio de Britney, como a cantora havia solicitado. Os documentos, de acordo com a Variety, apontavam exclusivamente a aprovação da empresa no acordo, e reiteravam a decisão da juíza de não remover Jamie Spears da tutela.

Documentos judiciais confidenciais publicados em junho pelo jornal The New York Times afirmam que a cantora disse a um investigador do tribunal que a tutela se tornou "uma ferramenta opressiva e controladora contra ela" desde 2016.

A controvérsia sobre o caso legal de Britney Spears ganhou um novo capítulo com o lançamento em fevereiro do documentário "Framing Britney Spears", que relata o processo de seu colapso emocional e da nomeação de seu pai como tutor.

Após o divórcio de Kevin Federline em 2006 e de perder a custódia dos filhos no ano seguinte, paparazzis a perseguiram em vários momentos. Sob a tutela do pai, Britney Spears lançou três álbuns, participou de programas de televisão e aceitou uma residência em Las Vegas.

Mas em janeiro de 2019 ela anunciou a suspensão dos shows por tempo indeterminado.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem