Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Christina Applegate diz ter sido diagnosticada com esclerose múltipla

'Uma jornada estranha', classifica a estrela

Christina Applegate em 'Disque Amiga para Matar'
A atriz Christina Applegate em 'Disque Amiga para Matar' - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A atriz Christina Applegate, 49, revelou em uma publicação feita em seu Twitter que foi diagnosticada com esclerose múltipla. "Oi amigos. Há alguns meses, fui diagnosticada com esclerose múltipla. Foi uma jornada estranha", começou ela no tuíte compartilhado nesta terça-feira (10).

"Mas tenho sido tão apoiada por pessoas que conheço que também têm essa condição. Tem sido uma estrada difícil. Mas, como todos sabemos, a estrada continua a menos que algum idiota bloqueie", completou a vencedora do Emmy na categoria de melhor comediante feminina.

A artista ainda pediu que tenha privacidade para poder realizar o tratamento de uma maneira mais calma. "Como uma de minhas amigas com esclerose múltipla disse, 'acordamos e tomamos a ação indicada'. E é isso que eu faço. Agora eu peço privacidade. Enquanto eu passo por isso. Obrigada".

Applegate ficou conhecida por estar em produções como "Disque Amiga para Matar" (Netflix, 2019), "Perfeita É a Mãe" (2016), "Tudo para Ficar Com Ele" (2002) e "Férias Frustradas" (2015). A artista também participou do seriado "Friends" (1994 - 2004).

Em 2008, a atriz foi diagnosticada com câncer de mama. Para o tratamento, ela precisou realizar uma mastectomia dupla para remover as duas mamas. Na série "Disque Amiga para Matar" ela aborda mais o tema da doença.

Na época, em entrevista à revista More, ela afirmou passar por um processo difícil após a cirurgia. "Eu sindo falta dos meus seios extraordinários, às vezes". Applegate disse que não teve tempo de ficar de luto pelo que perdeu, já que a imprensa logo descobriu sobre a doença e não a deixou descansar.

"O bom foi que divulgamos toda essa informação, mas falar sobre os fatos da doença, eu não tinha que ver o que estava acontecendo comigo. Quando [as notícias] diminuíram, tudo aquilo desmoronou", disse ela.

No Brasil, a atriz Claudia Rodrigues, 51, também tem há anos a doença. Recentemente, ela deixou o Hospital Albert Einstein, após ficar internada devido à suspensão dos remédios contra a esclerose múltipla, para poder receber vacina contra a Covid-19.

Durante o período em que ficou internada, Rodrigues piorou da doença, e sua empresária, Adriane Bonato, chegou a fazer um apelo emocionado nas redes sociais para a antecipação da segunda dose do imunizante.

“Agora vou voltar para minha casa, para minha filha, porque estou morrendo de saudade. E para minha reabilitação, porque estou me esforçando muito para me recuperar das sequelas da esclerose múltipla”, afirmou Rodrigues nesta terça-feira.

Em um vídeo postado nas redes sociais de sua empresária, a atriz disse ainda que não faz mais tratamento, mas, sim, treinamento: “Virei atleta, começo às 9h e vou até as 20h. Só paro por duas horas para almoçar e descansar”, afirmou ela.

A recuperação foi possível graças à antecipação da segunda dose da vacina Pfizer, em cerca de um mês, permitindo que Rodrigues retomasse a medicação contra a esclerose. Segundo sua empresária, não há estudos que garantam a segurança da vacinação enquanto ela estivesse ainda com a medicação, por isso a suspensão.

Sucesso na série “A Diarista”, que foi ao ar entre 2004 e 2007, Rodrigues foi diagnosticada no ano 2000 com esclerose múltipla, doença que ataca o sistema nervoso central e pode prejudicar a visão, a coordenação motora e a fala.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem