Celebridades
Descrição de chapéu senado

Dwayne Johnson agradece após pesquisa mostrar que 46% o apoiam para presidente

Ator superou nomes como Angelina Jolie, Oprah Winfrey e Tom Hanks

Dwayne Johnson - Instagram/ therock
São Paulo

O ator Dwayne Johnson, 48, usou suas redes sociais para agradecer aos americanos após uma pesquisa apontar que ao menos 46% deles o apoiariam como candidato à Presidência do país em 2024. “Seria uma honra servir a vocês”, afirmou ele.

“Eu não acho que nossos Pais Fundadores imaginariam um cara meio careca, tatuado, meio negro, meio samoano, bebendo tequila, motorista de caminhonete, mas se isso acontecer será uma honra servir a vocês, o povo dos Estados Unidos”.

Muitos seguidores comentaram no Instagram declarando seu voto ao ator, que também é ex-lutador, sendo chamado de “The Rock”. “Você já fez de tudo, então porque não?”, comentou um internauta. “Presidente do povo”, brincaram outros.

Johnson já havia feito insinuações sobre uma possível candidatura e disse em 2016 que era uma ideia "atraente". A revista Newsweek então divulgou uma pesquisa do Piplsay que apontou 46% dos americanos apoiando seu nome para presidente.

Segundo o levantamento, 29% dos americanos apoiariam as campanhas de Johnson para presidente e do ator Matthew McConaughey, 51, para governador do estado do Texas. Além de outros 17% apoiarem apenas a candidatura de Johnson.

A pesquisa pediu que as pessoas avaliassem também outros famosos, mas nenhum deles chegou perto de Johnson. Angelina Jolie, 45, teve apoio de 30% dos entrevistados, enquanto Oprah Winfrey, 67, teve de 27% e Tom Hanks, 64, de 22%.

Um total de 63% dos entrevistados disse que as estrelas de Hollywood seriam “bons políticos” se tivessem “aptidão política” ou “a equipe certa no lugar”. A pesquisa ouviu cerca de 30 mil pessoas de forma online, entre 2 e 4 de abril.

Se aceitar o desafio, Johnson pode enfrentar na campanha o rapper Kanye West, 43, que chegou a se candidatar na eleição passada. Na disputa passada, ele conseguiu cerca de 60 mil votos nos 12 estados onde conseguiu entrar nas urnas.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem