Celebridades

Pai de Meghan questiona acusações de racismo contra a monarquia britânica

'Não acho que a família real seja racista', diz Thomas Markle

Thomas Markle, pai de Meghan - Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Londres
AFP

O pai de Meghan Markle questionou nesta terça-feira (9) as acusações de racismo feitas por sua filha e o príncipe Harry contra a monarquia britânica, dizendo que está "decepcionado" com a impactante entrevista que o casal deu à televisão americana.

Meghan se distanciou de seu pai, Thomas Markle, antes de seu casamento com o neto da rainha Elizabeth 2ª em 2018, ao qual ele, que mora no México, onde participou em uma polêmica sessão de fotos com paparazzi, não compareceu devido a problemas de saúde.

A ex-atriz americana e seu marido, o sexto na linha de sucessão ao trono britânico, mudaram-se para a Califórnia em março de 2020, após deixarem suas funções na monarquia.

Em uma entrevista explosiva para a estrela de televisão Oprah Winfrey, exibida no domingo (7), eles denunciaram a pressão dos tabloides britânicos e seu racismo, além da falta de compreensão da família real sobre sua situação.

Também afirmaram que um membro da família real —que não foi a rainha Elizabeth nem seu marido Philip — havia demonstrado "preocupação"" com a cor da pele do filho, já que a mãe de Meghan é negra.

Thomas Markle, com quem a duquesa de Sussex não tem contato há anos, afirmou na televisão britânica nesta terça-feira que tratou-se de "apenas uma pergunta boba".

"Não acho que a família real britânica seja racista", disse à ITV o ex-diretor de iluminação da televisão americana de 76 anos.

Thomas Markle admitiu não conhecer nenhum membro da família real britânica, nem mesmo seu genro Harry e seu neto Archie, que tem quase dois anos.

Meghan garantiu a Oprah que fez todo o possível para proteger seus pais da pressão da mídia e que se sentiu "traída" quando descobriu que Thomas estava alimentando a imprensa sensacionalista.

"Estou muito desapontado. Peço desculpas por isso, ao menos cem vezes", disse Markle à ITV. "Lamento ter feito isso", acrescentou. "Mas ninguém se preocupou em proteger nossos familiares quando éramos atacados pela imprensa todos os dias".

Apesar do distanciamento, ele garantiu que "ama" sua filha e que gostaria de vê-la novamente.

Em fevereiro, Meghan ganhou um processo por invasão de privacidade contra o editor do jornal Mail on Sunday, que publicou trechos de uma carta direcionada a seu pai em agosto de 2018, na qual pedia que ele não aparecesse novamente na mídia.​

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem