Celebridades

Serena Williams defende Meghan após entrevista na Oprah: 'Orgulhosa de você'

Tenista valorizou a coragem da atriz ao expor realeza britânica

A tenista Serena Williams é muito amiga de Meghan Markle - AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A tenista Serena Williams, 39, saiu em defesa da amiga e duquesa Meghan Markle, 39, após a entrevista concedida por ela e pelo príncipe Harry para Oprah Winfrey. A entrevista foi exibida no último domingo (7) pela CBS.

Em publicação pelas redes sociais, Serena destacou a coragem de Meghan em abrir o jogo. “Estou muito orgulhosa de você por ser tão corajosa. Eu sei que nunca é fácil. Você é forte, tanto você quanto Harry. Eu amo você”, escreveu na legenda de uma imagem com mais dizeres.

“Meghan Markle, minha amiga altruísta, deixa sua vida e dá o exemplo de empatia e compaixão. Ela me ensina todos os dias o que significa ser verdadeiramente nobre. Suas palavras ilustram a crueldade dolorosa pela qual ela passou”, começou a tenista.

Na sequência da mensagem, disse que conhecia de perto as instituições e a mídia de sexismo e racismo usadas para difamar mulheres e pessoas negras para as minimizar. “Devemos reconhecer nossa obrigação de privar fofocas maliciosas infundadas dos tabloides. As consequências da opressão sistêmica e vitimização para a saúde mental são devastadoras”, afirmou.

No fim, Serena disse que sempre ajudará a lutar por um mundo melhor para as mulheres. “Quero que a filha de Meghan, minha filha e a sua filha vivam em uma sociedade conduzida por respeito. Mantenham em sua memória que o fruto do espírito é o amor, alegria, paz, paciência, bondade, fé, suavidade e autocontrole.”

ENTREVISTA DE MEGHAN

Em uma entrevista à apresentadora americana Oprah Winfrey, Meghan Markle, duquesa de Sussex, e o príncipe Harry esmiuçaram suas vidas como parte da realeza britânica, relatando os motivos que os levaram a se desligarem dela em janeiro do ano passado.

Um dos atritos envolve o primeiro filho do casal, Archie, nascido em 2019. Meghan afirmou que havia "preocupações e conversas sobre o quão escura a sua pele seria quando nascesse”. Segundo a duquesa, a família mantinha essas conversas com Harry, que as relatava a Meghan —ela não revelou os envolvidos.

O assunto surgiu quando a ex-atriz contou que, ainda grávida, foi informada pela realeza que Archie não se tornaria príncipe. Sem o título, ele não receberia segurança oficial.

“Isso aconteceu nos últimos meses da nossa gravidez. Pera aí, ele precisa estar seguro”, afirmou. “Criamos essa máquina monstra [de cliques e tablóides]. Vocês permitiram que isso acontecesse, o que significa que precisamos estar seguros.”

Meghan disse que nunca ligou para títulos, mas que a situação é diferente, já que, nesse caso, afeta a segurança de Archie. “Quando eu estava grávida, eles quiseram mudar a convenção. Por quê?”, questionou. “Não tem explicação."

Durante suas viagens oficiais, ela viu “o quanto significava para eles poder ver alguém que se parecia com eles nesta posição”. “E eu nunca pude entender como isso não poderia ser visto como um benefício adicional, um reflexo do mundo hoje.”

O príncipe Harry afirmou que precisou se colocar no lugar de Meghan para entender o escrutínio e o preconceito que ela enfrentava como mulher negra.

“Passei muitos anos fazendo o trabalho e aprendendo por conta própria. Mas então, na minha educação e no sistema em que fui criado e a que fui exposto, eu não estava ciente disso. Mas, meu Deus, não demorou muito para repentinamente tomar consciência disso”, disse ele sobre as questões raciais.

A americana também tratou dos inúmeros boatos de intrigas entre ela e Kate Middleton, duquesa de Cambridge, casada com o príncipe William, segundo na linha sucessória e irmão mais velho de Harry.

O principal deles começou com uma história de que Meghan teria feito Kate chorar durante os preparativos de seu casamento com Harry. Segundo a ex-atriz, foi a duquesa de Cambridge que acabou fazendo com que a cunhada ficasse chateada devido aos vestidos das meninas que levariam as flores.

Meghan disse ainda que não houve confronto e que Kate pediu desculpas depois. A história, porém, não acabou aí, e a duquesa de Sussex disse que esses rumores foram “o início de um assassinato de caráter”, acrescentando que a realeza não os contestou publicamente, apesar de saber que eram falsos.

"Eles ririam abertamente e negariam a história mais ridícula para qualquer um”, disse. “Mas a narrativa sobre fazer Kate chorar foi o começo de um verdadeiro assassinato de caráter, e eles sabiam que não era verdade. Se eles não vão coibir coisas assim, então o que vamos fazer?”

O príncipe Harry, por sua vez, se disse desesperado por ver a história se repetindo, mas afirmou não ter recebido nenhum tipo de ajuda. A mãe de Harry e William, a princesa Diana, morreu em um acidente de carro em Paris, em 1997, enquanto fugia de paparazzi.

Ele disse ter ficado apavorado quando Meghan disse a ele que não queria mais viver. “Eu não tinha ideia do que fazer”, afirmou. “Mas queria estar lá para ela.”

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem