Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Inteligência artificial vai eternizar ator que fez capitão Kirk em 'Star Trek'

Fãs podem até ser capazes de projetar o ator em suas salas de estar no futuro

William Shatner durante evento em Londres - Suzanne Plunkett-19.out.2012/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rollo Ross
Los Angeles
Reuters

William Shatner, que fez 90 anos na segunda-feira (22), recorreu a uma nova tecnologia que dará às gerações atuais e futuras a chance de lhe perguntar coisas sobre sua vida, família e carreira. O ator é mais conhecido pelo seriado "Star Trek" (ou "Jornada nas Estrelas", como também ficou conhecido no Brasil).

Ele passou mais de 45 horas ao longo de cinco dias gravando respostas a serem usadas em um vídeo interativo criado pela StoryFile. A empresa é sediada na cidade norte-americana de Los Angeles.

A partir de maio, pessoas conectadas à internet poderão fazer perguntas para Shatner. Uma inteligência artificial vasculhará transcrições de suas declarações para apresentar a melhor resposta, de acordo com Stephen Smith, cofundador da StoryFile.

Os fãs podem até ser capazes de projetar o ator em suas salas de estar no futuro, disse Smith, já que Shatner foi digitalizado com câmeras 3D que permitirão que suas respostas sejam dadas através de um holograma.

Shatner, que interpretou o capitão Kirk em "Star Trek" entre 1966 e 1969 e em vários filmes da franquia, respondeu 650 perguntas sobre tópicos que vão das melhores e piores partes de trabalhar na série clássica de ficção científica a onde ele cresceu e o sentido da vida.

O astro canadense disse que "quis me revelar o mais intimamente possível" para sua família e outros. "Isto é um legado. É o que você deixaria aos seus filhos, o que deixaria na lápide, as possibilidades são infinitas."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem