Celebridades

Demi Lovato diz que prefere ficar com mulheres após terminar noivado com ator

Atriz e cantora diz que se considera queer: 'Minha verdade'

A atriz e cantora Demi Lovato - REUTERS
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A atriz e cantora Demi Lovato, 28, revelou que tem se sentido muito mais feliz por se relacionar com mulheres após o término de seu noivado com o ator Max Ehrich, 29.

Em entrevista repercutida pelo Daily Mail, disse que se considera queer, ou seja, uma pessoa que não se identifica como heterossexual ou cisgênero e que não corresponde a um padrão cis-heteronormativo.

“Quando comecei a ficar mais velha comecei a perceber como realmente sou queer. No ano passado, estive noiva de um homem e, quando isso não funcionou, pensei: esse é um grande sinal. Agora que não iria mais fazer isso tinha uma sensação de alívio por poder viver minha verdade”, afirmou.

Demi tem investido em encontros casuais. “Eu fiquei com uma garota e pensei: ‘Eu gosto muito mais disso’. Eu me senti melhor. Parecia certo”, disse.

A artista afirma que sempre que começava uma relação sexual com algum homem tinha uma reação visceral. “Acabei descobrindo que realmente apreciava mais as amizades daquelas pessoas do que o romance com elas, e não queria o romance de ninguém do sexo oposto.”

Demi Lovato também revelou que não restringiu totalmente a maconha e o álcool de sua vida após a overdose que quase a matou em 2018. Ela teve três derrames e uma parada cardíaca após ingerir entorpecentes.

“Liguei para meu supervisor na recuperação, Charles Cook, e disse: ‘Algo não está certo. Estou vivendo um lado da minha vida completamente legalizado e o outro lado seguindo um programa que está me dizendo que se eu escorregar, vou morrer”, disse.

“Acho que também quero tentar essa coisa do equilíbrio no lado da substância da minha vida”, emendou a cantora ao revelar que sua equipe ficou preocupada com ela.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem