Celebridades

Polícia apura denúncia feita nas redes sociais contra PC Siqueira

Youtuber é acusado de pedofilia; ele nega e diz que é vítima de articulação criminosa

PC Siqueira - Reprodução
São Paulo

A Polícia Civil informou nesta quinta-feira (11) que apura a denúncia feita por meio das redes sociais contra o youtuber PC Siqueira, 34. O influenciador é acusado de pedofilia após ter uma suposta conversa sua divulgada no Twitter. Em longo texto publicado em seu Instagram, PC Siqueira disse que é vítima de uma articulação criminosa, que jamais cometeu ou cometeria o crime e que passou por um dos piores momentos de sua vida ao ter seu nome envolvido na acusação.

"A 4ª Delegacia de Proteção à Pessoa, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), apura a denúncia feita por meio das redes sociais contra a pessoa citada [PC Siqueira]", afirma em nota a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

A suposta conversa de PC Siqueira foi publicada na quarta (11) pelo "Exposed Emo" no Twitter, o mesmo perfil que revelou, na terça-feira (9), mensagens trocadas pelo baterista do CPM 22, Japinha, com uma menor de idade.

Nas imagens da conversa, via mensagem direta no Instagram, o influenciador teria escrito a um amigo não identificado que recebeu fotos de uma criança de 6 anos de idade nua. Ele teria enviado a imagem ao amigo –mas teria cancelado o envio em seguida, segundo as mensagens.

O perfil do influenciador também teria dito, na troca de mensagens, que a mãe da criança teria enviado as imagens para ele, e seu amigo responde que "é mais excitante a mãe fazer isso [do que as fotos em si]", ao que PC teria respondido: "sim, de fato".

Siqueira afirmou que o vídeo é uma "mentira escancarada e grotesca". "Se formos prestar atenção nesse vídeo asqueroso, ele leva 1 minuto e 31 segundos para o relógio do celular mudar! Nem esse cuidado os falsificadores tiveram. Além disso, o símbolo de verificação tem um espaçamento diferente do verdadeiro. Está tudo ali, para quem quiser ver. A operadora da suposta linha do vídeo é pré-paga dos Estados Unidos. O celular é um Samsung e está gravando a tela de um iPhone. Enfim, são muitas evidências que demonstram a falsificação mal feita. A mais importante delas é que não sou eu", afirmou.

O youtuber disse ainda que tem recebido ameaças por causa do seu posicionamento político há algum tempo –ele é crítico ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido). "Mas nunca imaginei que seria atingido por algo tão baixo."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem