Celebridades

Érico Brás diz que Se Joga não foi cancelado, mas 'não há clima' para voltar agora

Apresentador diz ainda sente uma lacuna na TV em relação aos negros

Fabiana Karla, Érico Brás e Fernanda Gentil - Victor Pollak/Globo

Longe das telas da Globo desde março, Érico Brás, 41, garante que o programa vespertino Se Joga, que ele apresenta ao lado de Fernanda Gentil e Fabiana Karla, não foi cancelado e, em breve, estará de volta. Apesar disso, ele não sabe quando acontecerá esse retorno.

"Acho que nesse momento não tem clima", diz o apresentador em conversa ao telefone. Brás também faz questão de negar os boatos de que os números baixos de audiência teriam feito com que a emissora desistisse do Se Joga. "Continuo sendo apresentador... está suspendo porque a gente entrou na pandemia e a programação da rede Globo foi alterada para dar mais espaço ao jornalismo", explica.

No dia 17 de março, a Globo decidiu tirar do ar os programas Encontro, Globo Esporte e Se Joga para priorizar a cobertura da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Na época, a emissora informou que a decisão visava fornecer mais informações à população. Entretanto, o programa de Fátima Bernardes retornou à grade no dia 20 de abril.

Após a suspensão, o apresentador chegou a afirmar em entrevista a Fábio Porchat, durante uma live nas redes sociais, que o programa foi a maior pressão que sofreu em toda sua carreira e comentou sobre as quedas de audiência. Ao F5, no entanto, Brás afirma que algumas pessoas interpretaram negativamente sua fala.

"Quando eu falei que foi o meu maior desafio, realmente foi. Mas eu abracei essa pressão com o maior prazer. Há muito tempo, eu tenho vontade de ser apresentador", comenta o ator, que diz sentir uma "lacuna muito grande" em relação a representatividade dos negros na televisão brasileira. "A maioria da população é negra, e ela precisa se ver em todos os produtos de audiovisual."

Érico Brás afirma que uma de suas inspirações é a jornalista Glória Maria, responsável por aflorar sua vontade de comandar um programa de TV. "Quando eu olhava apenas ela sendo apresentadora isso me incomodava muito", conta o ator baiano, que ficou conhecido após atuar no seriado "Tapas e Beijos" (2011), como Jurandir.

Sobre uma possível reformulação na estrutura do Se Joga, o apresentador garante que não existe alteração alguma. "O programa somos eu, Fabiana Karla e Fernanda Gentil. Não recebemos nenhuma notificação da Globo, e se tivesse tido alguma conversa assim as minhas amigas teriam me falado."
Vale lembrar que a jornalista Fernanda Gentil ganhou um quadro no É de Casa, que estrelou no último dia 30 de maio. O anúncio aconteceu logo após a saída de Zeca Camargo, que integrava o programa até então.

Para Érico Brás, agora o momento é de se reinventar. "Está mais do que claro, nessa pandemia, que vai existir um novo normal daqui pra frente", afirma ele, que aponta as redes sociais como mais vantajosas do que as telinhas em alguns pontos.

"Tem uma liberdade que a televisão talvez não tenha. A rede social tem uma versatilidade que se renova a cada 24 horas, toda hora surge alguém novo com alguma coisa nova, com criações arrebatadoras. A televisão precisa de uma programação então isso é um fator diferente",

Brás, que fez parte do Bando de Teatro Olodum, estreou na televisão como o taxista Reginaldo, da série "Ó Pai, Ó" (Globo, 2008-2009). Ele também fez parte do elenco do humorístico Zorra e participou de Dança dos Famosos e PopStar. Atualmente, ele pode ser visto na "Escolinha do Professor Raimundo: Nova Geração", como o personagem Eustáquio.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem