Celebridades

Hackers pedem US$ 21 milhões para não expor dados de Lady Gaga e Elton John

Invasores de escritório de advocacia de artistas já publicaram suposto contrato de Madonna

Lady Gaga no Met Gala 2019
Lady Gaga no Met Gala 2019 - Nina Westervelt/The New York Times
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Um grupo de hackers invadiu o site do advogado Allen Grubman, que atende a grande parte da classe artística de Los Angeles, exigindo US$ 21 milhões (cerca de R$ 121,2 milhões) e ameaçando revelar detalhes pessoais de seus clientes, como Elton John, Lady Gaga e Barbra Streisand.

Os criminosos afirmam ter 756 gigabytes de dados, incluindo contratos e e-mails pessoais, segundo o portal norte-americano Page Six. Uma captura de tela com um suposto contrato de Madonna já foi liberada.

“Os hackers entraram no sistema enquanto todos estavam focados no coronavírus. Assumimos [...] Eles estão exigindo um resgate de US$ 21 milhões e a empresa não está negociando com eles", disse uma fonte anônima ao portal, acrescentando que o FBI está investigando o caso, e que os clientes do advogado já foram notificados.

"Podemos confirmar que fomos vítimas de um ataque cibernético. Notificamos nossos clientes e nossa equipe. Contratamos especialistas do mundo especializados nessa área e estamos trabalhando o tempo todo para resolver esses problemas", diz o escritório em um comunicado.

Além de Gaga, Madonna e John, a empresa representa músicos como Barry Manilow, Rod Stewart, Lil Nas X, The Weeknd, U2 e Drake. Outros clientes listados são Priyanka Chopra, Robert De Niro, Sofia Vergara, LeBron James e Mike Tyson.

Os mesmos hackers, chamados de REvil ou Sodinokibi, já atacaram a empresa de câmbio Travelex com malware que criptografa dados até que um resgate seja pago em bitcoin (moeda não rastreável).

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem