Celebridades

Jussie Smollett é indiciado após novas acusações de ter mentido à polícia

Acusações contra o ator haviam sido suspensas

O ator Jussie Smollett em Chicago - REUTERS
São Paulo

O ator norte-americano Jussie Smollett, 37, conhecido da série “Empire”, foi indiciado por novas acusações relacionadas ao incidente de janeiro de 2019 quando disse ter sido alvo de um ataque de intolerância em Chicago. As informações são do The Washington Post.

Um júri o indiciou por seis acusações de conduta desordeira que o acusam de apresentar falsas denúncias sobre o suposto ataque que teria recebido em 2019. Isso ocorre quase um ano depois de promotores suspenderem as acusações contra o ator de mentir para a polícia. 

Smollett que é negro e gay, iniciou uma escândalo ao comunicar à polícia em janeiro que teria sofrido um ataque de dois apoiadores do presidente americano Donald Trump, que teriam colocado uma corda em seu pescoço enquanto gritavam ofensas racistas e homofóbicas em uma rua de Chicago.

A polícia de Chicago depois acusou Smollett de ter inventado o ataque, mas o ator manteve sua versão dos fatos e, em março, os promotores dispensaram as acusações criminais contra ele.

Smollett, que interpretava o cantor e compositor homossexual Jamal Lyon na série, que conta a história de uma família envolvida na indústria musical do hip-hop, foi retirado dos últimos episódios da quinta temporada da série no início do ano.

Ele também foi retirado da série "Empire". O autor da série confirmou publicamente que o contrato do artista havia sido encerrado após toda a confusão.

Smollett resolveu processar a cidade de Chicago após considerar que o prefeito e o chefe de polícia da cidade americana arruinaram a reputação dele ao acusarem do fato.

Os advogados do ator afirmam que esses processos causaram "humilhação e extrema angústia" a Smollett, segundo reportagem da BBC. Na ação contra ele, a cidade pede o pagamento de US$ 130 mil (mais de R$ 500 mil) pelos custos e tempo perdido pela polícia na investigação do caso. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem