Celebridades

Rodrigo Hilbert posa com Fernanda Lima em Nova York e diz: 'Podemos ajudar na política'

Casal voltará a morar no Brasil após férias escolares dos filhos gêmeos

Rodrigo Hilbert posa ao lado de Fernanda Lima em Nova York para ensaio de revista masculina. Fernanda de braços dados com Rodrigo. Eles vestem roupas de frio e estão sérios.
Rodrigo Hilbert posa ao lado de Fernanda Lima em Nova York para ensaio de revista masculina - Henrique Gendre/Divulgação
São Paulo

Pais de dois meninos de 11 anos e à espera da primeira filha, Fernanda Lima, 41, e Rodrigo Hilbert, 39,  têm um objetivo enquanto educação: fazer com que os filhos entendam a importância da igualdade de gênero e não reproduzam ideias preconceituosas.

"Quero que minha filha entenda que é livre nos pensamentos, desejos e escolhas como, de alguma maneira, também fui educada. (...) Quando a gente fala de feminismo e de luta por igualdade, não é exatamente de mim que o feminismo está falando, mas de outras mulheres que passam mais dificuldades, pelas condições que vivem, pela cor da pele que têm", disse Fernanda à revista GQ Brasil de junho-julho, da qual é cover girl ao lado do marido.

O ensaio de capa foi clicado em Nova York, antes do casal - que está há 15 anos juntos - descobrir a nova gravidez. Na entrevista, Fernanda disse aproveitar o fato de ter um microfone em mãos na maior emissora de TV do país para “para dissipar ideias e aumentar a autoestima das pessoas.” “Quero fazer com que elas se divirtam e tomem consciência de quem são".  E Hilbert faz eco: "Nós somos pessoas públicas, podemos ajudar em tudo, inclusive em política. Vamos voltar e batalhar para termos um país melhor para todos". 

O casal, que mora em Los Angeles (EUA), voltará a viver no Brasil depois das férias escolares das crianças, no segundo semestre. Nesse período, experimentaram uma vida no anonimato e agora fazem uma análise sobre a certeza de que são bons pais. "Me sinto mais seguro. Me vejo aprendendo muito com os meninos e comigo mesmo. Tenho mais paciência, escuto cada vez mais as crianças. Isto é um mérito da Fernanda", relata Rodrigo.

"Cada manhã, a gente é diferente. Depois de 11 anos, passei a enxergar muita coisa, valorizar, estudar. Venho com uma bagagem melhor. Mas é difícil botar um filho no mundo", completa Fernanda.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem