Celebridades

Mariana Ximenes é cotada para protagonizar suspense teatral baseado na obra de Stephen King

'Misery' já ganhou montagem com Marisa Orth no elenco

Mariana Ximenes na pele de Adalgisa, no recente trabalho "Se eu fechar os olhos agora", minissérie exibida pela TV Globo - Mauricio Fidalgo/Globo
Lucas Rezende
São Paulo

A atriz Mariana Ximenes, 38, é cotada para viver a protagonista da adaptação teatral brasileira de “Misery”, livro lançado pelo escritor americano Stephen King, 71, no final da década de 1980, sob viés do terror psicológico e do suspense.

As negociações foram confirmadas pela assessoria da atriz à Folha. Caso se confirme, será a volta de Ximenes à ribalta depois de oito anos longe, quando atuou em “Os Altruístas”, tragicomédia dirigida por Guilherme Weber.

Com oito peças no currículo, Mariana Ximenes negocia para interpretar a protagonista Annie Wilkes, papel que já foi de Kathy Bates, 70, no cinema, no longa "Louca Obsessão" (1990), e de Marisa Orth, 55, em 2005, quando a peça foi montada no Brasil.

No enredo de “Misery”, o personagem Paul Sheldon –que já foi interpretado por Luiz Gustavo no teatro–, é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar de uma forte nevasca.

Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira Annie Wilkes, que surge em seu caminho. Ela é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico.

Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado.

Procurada, a assessoria da WB Produções, produtora teatral à frente do projeto, disse que a expectativa de estreia é para o segundo semestre deste ano. A montagem será feita com base no roteiro de William Goldman, traduzido e adaptado por Claudia Souto e Wendell Bendelack, sob a direção artística do paulistano Eric Lenate. 

Da última vez que ganhou os palcos brasileiros, "Misery" foi orçada em R$ 250 mil sob a direção do espanhol Ricard Reguant.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias