Celebridades

José Loreto diz que 'O Sétimo Guardião' é ideal para se afastar da política e respirar humor

Ator interpreta Júnior, filho mimado do prefeito da fictícia Serro Azul

José Loreto como o personagem Júnior, filho do prefeito de Serra Azul e apaixonado por Luz, interpretada por Marina Ruy Barbosa - João Cotta/Globo

São Paulo

José Loreto, 34, vai encarar a sua segunda novela das 21h como o playboy Júnior, de "O Sétimo Guardião", trama de realismo fantástico de Aguinaldo Silva na Globo. A história central ficará em torno de uma comunidade bastante peculiar, a fictícia Serro Azul, que vive sem internet ou celular, cercada por mistérios que incluem gato mágico e fonte da juventude, protegida pelos sete guardiões que dão nome à novela. 

Para Loreto, é uma trama lúdica. "É uma história ideal para esse momento, para a galera dar uma respirada fora da política, respirar humor." ​"Depois de Darkson, de 'Avenida Brasil' [2012], que abriu as portas para mim, recebo esse personagem maravilhoso, de construção", elogia o ator, que diz sentir um "tremelique" com ansiedade do desafio.

"Esse cara é complexo. Ele é de uma cidade pequena do interior, mimado, sempre teve tudo que quis, mas não tem o amor da Luz", resume Loreto, em referência à protagonista, interpretada por Marina Ruy Barbosa.

Loreto diz ainda que Júnior é o típico cara machista, com pensamentos retrógrados, mas não chega a ser um vilão já que tudo que faz é por amor a Luz. O ator está no ar também em sua sexta temporada no programa Amor e Sexo, apresentado por Fernanda Lima.

"Cresci muito desde então, comecei a ter mais empatia e me colocar mais no lugar dos outros. Sou um jovem, heterossexual, de família tradicional. Estou vendo uma desconstrução dessa figura que nasce num ambiente de machismo."

Ele diz ainda que o momento é muito delicado e que passa horas depois da gravação refletindo sobre o que disse no palco. "Você fala um 'a' e as pessoas interpretam como um grito de salvação ou um grito de ódio. É legal abrir um diálogo. O mundo não é só nossa casa, tem muitas casas diferentes."

Pai de Bella, de seis meses, com Débora Nascimento, Loreto disse que pensou em preservar a filha da exposição, mas não resistiu. "Não seria eu mesmo se não mostrasse esse amor que tenho por ela nas redes sociais", disse Loreto, que chamou a paternidade de um momento transformador.

"Estamos completamente apaixonados. Quando eu vou sair de casa, olho para ela e penso só mais um chamego, só vou trocar uma fralda, só dar uma frutinha. Está sendo apaixonante."

O casal se prepara ainda para o retorno de Débora Nascimento à rotina integral de gravação. Ela estará na próxima trama das 19h da Globo, "Verão 90", que substituirá "O Tempo Não Para". Por enquanto, ela leva a pequena Bella ao estúdio com ajuda da babá. 

"Ela fica nervosa pensando como faremos já que eu estou gravando das 11h30 às 21h e, daqui a pouco, ela começará também. Digo a ela que vai dar certo, com a ajuda da babá e da empresa, que dá muito suporte."

O ator falou ainda sobre o sensor nas nádegas que adotou para medir o nível de glicemia no sangue. Ele foi diagnosticado com diabetes tipo 1 aos 14 anos. O sensor é usado tradicionalmente no braço, mas o ator temia que aparecesse nas cenas sem camisa que costumeiramente grava.

Além disso, afirma Loreto, o sensor caía frequentemente quando ele praticava esportes. "Ele custa R$ 250 e dura 14 dias. Tive que comprar seis, fali, mas tudo bem que daqui a pouco já cai o salário", brincou o ator. ​

"Minha endocrinologista disse que eu podia colocar em qualquer parte com gordura. Escolhi a nádega para ficar escondido. A não ser que eu tenha que fazer uma cena nu ou de calcinha, que não uso."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem