Celebridades

Casa em que rapper Mac Miller foi encontrado morto pode ser alugada por R$ 35 mil por mês

Imóvel tem três quartos e fica nos arredores de Los Angeles

Casa de Mac Miller tem 293 metros quadrados de área e vista panorâmica de Los Angeles
Casa de Mac Miller tem 293 metros quadrados de área e vista panorâmica de Los Angeles - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A casa em que o rapper Mac Miller morreu, nos arredores de Los Angeles, pode ser alugada pelo valor de  US$ 9.595 —cerca de R$ 35 mil— por mês, segundo o site  TMZ.  O artista americano foi encontrado morto no local no dia 7 de setembro.

O imóvel tem 293 metros quadrados de área, três quartos e três banheiros. Está situado em San Fernando Valley, na região metropolitana de Los Angeles. A casa tem churrasqueira e vista panorâmica para a cidade e para as montanhas. 

Mas os corretores imobiliários podem enfrentar uma certa dificuldade para alugar a residência. De acordo com o site TMZ, existe uma lei na Califórnia que determina que qualquer pessoa interessada em alugar ou comprar um imóvel em que alguém morreu seja avisada sobre o fato até três anos depois do ocorrido.  

A cantora Ariana Grande, 25, ex-namorada de Mac Miller,  ficou muito abalada com a morte do rapper e anunciou uma pausa na carreira.

"Dados os eventos dos últimos anos, Ariana vai tirar um tempo necessário para se cuidar e curar. Ela ficará próxima de sua casa e usará esse período para passar algum tempo ao lado de seus das pessoas que ama e trabalhando em novas músicas sem prazos. Ela agradece seus fãs pela compreensão", dizia um comunicado da equipe da cantora à revista americana People. 

Em uma mensagem em sua conta oficial no Instagram, postada na última semana, Ariana declarou seus sentimentos sobre o cantor. Ela disse que “adorou” Miller desde o dia em que o conheceu, quando tinha 19 anos. "Você foi meu amigo mais querido. Por tanto tempo”, escreveu.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem