Celebridades

Betty Faria defende Zé Mayer em caso de assédio e diz que mulher era uma 'piveta'

Atriz criticou ainda colegas de Hollywood que denunciaram casos de assédio

Betty Faria em retrato publicado em seu Instagram - Reprodução/Instagram

São Paulo

A atriz Betty Faria, 77, disparou contra as recentes denúncias de assédio sexual em Hollywood e saiu em defesa de seu colega José Mayer, acusado de assédio sexual por uma funcionária da rede Globo. 

"Acho que foi um carma espiritual pintar aquela piveta na vida dele", disse Faria, em entrevista ao UOL.

Em relato publicado no blog #AgoraÉqueSãoElas, da Folha, em março de 2017, a figurinista Susllem Tonani, 28, afirmou que o ator a assediou por meses. 

Mayer se desculpou pelo caso e disse que errou ao fazer "brincadeiras de cunho machista" com colegas. O ator foi afastado pela Globo.

Faria contou sua própria versão dos fatos. Disse que Tonani e Mayer tinham uma história de amizade, eles se desentenderam e a figurinista "decidiu tirar uma onda". 

"Ele nunca fez assédio comigo e nunca vi fazer com ninguém. É um colega maravilhoso. Fiquei muito triste com o que aconteceu."

A atriz falou também das recentes denúncias de assédio sexual que tomaram Hollywood, envolvendo  nomes como Harvey Weinstein, Morgan Freeman, Dustin Hofmann e Roman Polanski —segundo ela, 
tudo "fingidinho" e que não passa de "nhém nhém nhém".

"Por que essas atrizes do Oscar não abriram o bico na hora [que foram assediadas]? Porque não convinha! Pegaram o papel, entendeu? Eu quero ver a que tem peito de dar um murro, uma joelhada no saco e perder o papel." 

A atriz revelou ainda que sofreu assédio. "Eu sofri de tudo. Era bonita e gostosa nos anos 60, 70, 80. [...] Sou uma sobrevivente." Preferiu, contudo, não denunciar nenhum dos assediadores. "Nunca fiz escândalo dessas coisas. A mágoa que os caras ficaram já foi suficiente para me deixar feliz." 

Ela contou, sem dar muitos detalhes, que uma pessoa que namorou tentou ​estuprá-la, mas ela se defendeu com uma pernada —na época, diz, fazia tai chi chuan, arte marcial chinesa. 

Sugeriu ainda que o Ministério da Educação inclua defesa pessoal nas aulas de educação física. "Muito estupro pode ser evitado. Mete o dedo no olho, uma joelhada no saco e é difícil resistir, viu?"

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem