Celebridades

'As madames me viam e abraçavam as bolsas', lembra o ator Jonathan Azevedo

Após sucesso em novela das 21h, ele se prepara para estreia de 'Ilha de Ferro'

O ator Jonathan Azevedo
O ator Jonathan Azevedo - Pedro Dimitrow/GQ

São Paulo

Após fazer sucesso na novela "A Força do Querer" como o traficante Sabiá, que lhe rendeu troféu revelação no Melhores do Ano do Domingão do Faustão, o ator Jonathan Azevedo, 32, falou à revista GQ sobre a carreira, os projetos para o futuro e relembrou a infância nos morros cariocas.

Ele conta que tinha amigos ricos e frequentava as praias em meio à classe média do Rio, sem se importar com as atitudes preconceituosas. "Era tudo nosso, me sentia em casa no meio deles. Devia ter gente que pensava: 'O que aquele neguinho tá fazendo com esses playboys? O Leblon queria me ver distante, mas eu sempre estive perto. Ipanema queria me ver na China, mas eu tava no Arpoador surfando. No caminho até a praia as madames me viam e abraçavam as bolsas."

Neste ano, ele colhe os frutos e estreia 'Ilha de Ferro', uma série sobre o universo dos embarcados nas plataformas de petróleo. Dirigida por Afonso Poyart, a nova trama da Globo terá Cauã Reymond, Maria Casadevall e Sophie Charlotte.

Apesar do sucesso recente, o ator coleciona mais de 10 filmes e 14 novelas em sua carreira, como "Salve Jorge", "Tim Maia" e "Cidade dos Homens".

"Cauã [Reymond] me ensinou a diferença entre sucesso e fama: a fama é uma coisa que pode acabar e à qual você não deve se prender; mas o sucesso é construção, fortalecimentos e amadurecimento. E foco também. Não vou durar só cinco anos como ator. Cheguei no sapatinho, mas cheguei para ficar, parceiro."

Além de sonhar uma carreira de sucesso para si, Jonathan sonha também com um futuro melhor para as crianças brasileiras desfavorecidas, como ele. "Não era nem para eu estar vivo. O Brasil tem tantos 'não era' e que se ampliam pro afrodescendente, pobre, favelado. Juntei todos os 'não era' e transformei no 'eu posso'."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem