Celebridades

'Queria ter coragem de fazer plástica, mas tenho medo de ficar esquisita', diz Regina Casé

A apresentadora Regina Casé
A apresentadora Regina Casé - Gui Paganini /"Claudia"


Mãe de um filho de quatro anos e de um neto de quatro meses, a apresentadora e atriz Regina Casé afirma que idade não é limite e que se sente muito melhor hoje, aos 63 anos. "O preconceito mais triste é dizer pra você mesma que não pode, que não tem mais idade."

"Eu me sinto muito melhor hoje. Tenho vergonha de falar isso porque parece aquela coisa falsa de quem está envelhecendo. Mas sabe o que eu sinto? Antes, eu tinha muito mais medo, insegurança. Tinha ansiedade do que ia ser. Agora já é. Se foi, foi, já sou eu", disse Casé, em entrevista à revista "Claudia", que chega às bancas nesta sexta (3).

A apresentadora afirmou que nunca fez nenhum procedimento estético, como botox ou preenchimento, por medo de ficar esquisita, de não me reconhecer no espelho. "Cheguei à minha idade sem uma gota de botox. Nenhuma intervenção, nada de preenchimento. Não julgo quem faz. Eu até queria ter tido coragem de fazer plástica, mas tenho medo de ficar esquisita, de não me reconhecer no espelho. Não estou dizendo que não farei, até porque, se eu continuar em televisão, como apresentadora, é difícil."

Casada com o diretor Estevão  Ciavatta, 49, Casé relembra a cerimônia na Igreja do Outeiro da Glória, no Rio, e como algumas pessoas duvidaram de amor do casal. "Todo mundo que subiu o Outeiro foi com aquele tom frívolo de: ‘Ah, isso aqui é casamento de revista de celebridade (...) Quanto tempo vai durar?’. Não levavam fé na gente, no nosso amor."

Os dois se casaram em 1999 e foi a primeira vez que Regina Casé se casava no religioso. Em 2013, o casal adotou Roque Casé Ciavatta, 4. Em junho de 2017, nasceu seu primeiro neto, Brás, filho de Benedita Casé Zerbini, 28, filha da apresentadora com o artista plástico Luiz Zerbini.

Casé também critica  comentários feitos a beleza das mulheres mais velhas. "Eu acho tétrico quando vejo uma mulher que é linda e velha, e a pessoa fala: 'Nossa, ela deve ter sido tão bonita'. Ela é bonita! Só tem outra idade. Como se você só pudesse ser bonita quando é novinha."

Para a apresentadora, o mercado publicitário deveria trabalhar com o desejo, colocar alguém que não é o óbvio podendo usar aquele perfume, aquela roupa, dirigir aquele carro. "A gente vê milhares de pessoas com mais idade viajando, em restaurante, comprando, consumindo. Quero fazer anúncio de tênis."

"Quando você encontrar uma mulher mais nova, não pense que ela vai ser uma mulher incrível. E, quando encontrar uma mulher mais velha, não pense que ela pode ter sido uma mulher incrível. Ela é sua contemporânea, tem algo para trocar", afirmou Casé. 

Na última terça (31), Regina Casé lançou a série documental "Asdrúbal Trouxe o Trombone", grupo do qual fez parte a humorista nos anos 1980. Além da apresentadora,  Luiz Fernando Guimarães, Patrícia Travassos, Evandro Mesquita, Perfeito Fortuna, Nina de Pádua e Gilda Guilhon integraram o grupo.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem
[an error occurred while processing this directive]