Celebridades

Sem fumar há 37 anos, Drauzio Varella diz que pediria um cigarro se fosse condenado à morte

Convidado do "Programa do Jô" (Globo), desta sexta-feira (11), Drauzio Varella afirma que, apesar de ter parado de fumar há 37 anos, até hoje não conseguiu se livrar do vício.

"Se eu fosse condenado à morte, eu pediria um cigarro para poder pensar no meu último pedido", diz o médico.

A relação entre Drauzio e Jô vai além de apresentador e entrevistado. O comandante da atração conta que conseguiu se curar de um melanoma —um tipo de câncer de pele— graças ao médico.

"Ele é a pessoa mais preocupada com a minha saúde depois de mim", diz Jô, sobre a amizade de mais de 35 anos.

Além de participar do "Programa do Jô, em breve Drauzio verá uma de suas obras na tela da Globo. Nesta semana, começaram as gravações da série "Carcereiros", baseada em um livro do mesmo nome do médico.

Originalmente, Domingos Montagner estava escalado para viver o carcereiro protagonista da história. Após a morte do ator, durante um intervalo da gravação de "Velho Chico", Rodrigo Lombardi foi chamado para substituí-lo.


Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias