Celebridades

Polarização política da web atinge também classe artística brasileira: veja de que lado estão os famosos

Teve golpe. E foi na "monarquia gayzista". É que, segundo fontes fidedignas das redes sociais, a "cúpula gay" acaba de destituir Susana Vieira e empossar Monica Iozzi como sua rainha. O estopim? Ora, o posicionamento político de ambas.

Junto com elas está parte da classe artística brasileira, que nas últimas semanas decidiu expor o que pensa a respeito da crise política.

De um lado, estão os que vestem —não literalmente— vermelho (em alguns casos, é verdade, são artistas que são apenas contrários ao impeachment de Dilma Rousseff). Do outro, os que apostam no verde-e-amarelo para o look de domingo. Ou no pretinho, que além de básico significa o luto pelo que tem acontecido no país.

O "Team Monica Iozzi" conta com nomes como Caetano Veloso, Wagner Moura, Chico Buarque, Daniel Dantas, Letícia Sabatella, José de Abreu, Gregorio Duvivier e Tico Santa Cruz.

Gisele Bündchen, Marcelo Serrado, Marcio Garcia, Ana Hickmann, Ticiane Pinheiro, Preta Gil, Danilo Gentili, entre outros, compõem a turma de Susana, "amada por 130 milhões de brasileiros", como ela mesma já decretou. 

Assim como a cabeça de seu time, Wagner Moura expressou seu descontetamento com o atual cenário político em um vídeo publicado no Facebook. O ator afirmou não conseguir falar com "amigos que odeiam o PT". Ele e Monica criticaram a superficialidade do debate político no Brasil.

Caetano Veloso comparou o ato que pedia o impeachment da presidente à Marcha da Família com Deus, que precedeu o golpe militar de 1964. O cantor baiano fez o comentário durante a gravação do programa "Altas Horas" que vai ao ar no sábado (26). 

Parte do time de Susu até foi junto ao protesto anti-PT, no domingo (13), como pode ser visto na foto abaixo:

 

Mas houve também quem preferiu mandar o recado pelo Twitter, como Danilo e Preta.

 

Ah, e claro, mensagens vindas do exterior também fizeram coro no domingo (13). Gisele Bündchen, cuja irmã estaria do lado da "força", publicou foto com a bandeira do Brasil ao fundo seguida de uma citação atribuída ao juiz Sergio Moro.

Nas redes sociais, hoje se fala em polarização política, brigas com os tios e textões. Mas houve quem previsse essa imbróglio há um bom tempo, e pasme: foi no mundo acadêmico. Um tal de Marshall Mcluhan já tinha vislumbres da bagunça que a internet viraria, já que agora todos habitam a chamada "aldeia global" e, querendo ou não, precisam suportar uns aos outros.
 

 

 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias